4.8 C
Londres
Domingo, Abril 21, 2024

20 De Novembro: Dia Da Industrialização Africana

“Juntos, podemos realizar a visão de uma África pacífica e próspera para todos” – António Guterres, Secretário-Geral da ONU.

20 De Novembro: Dia Da Industrialização Africana.

O continente africano celebra anualmente, no dia 20 de Novembro, o Dia da Industrialização Africana, uma ocasião crucial para a reflexão sobre a utilização sustentável dos seus recursos naturais. Este dia, foi instituído pelas Nações Unidas em 1989 e visa mobilizar a comunidade internacional para impulsionar a industrialização do continente.

Os dias e semanas internacionais são ocasiões para educar o público sobre questões de preocupação, mobilizar vontade política e recursos para abordar problemas globais e celebrar e reforçar conquistas da humanidade. A existência de dias internacionais antecede o estabelecimento das Nações Unidas, mas a ONU adotou-os como uma ferramenta de advocacia poderosa.

Hoje, mais do que nunca, representa não apenas um meio, mas um fim rumo ao desenvolvimento de África. A comemoração tem como objetivo primordial realçar a importância da industrialização e da transformação da economia continental, especialmente à luz da recém-criada Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA).

Esta zona, que visa um mercado único de 1,3 mil milhões de pessoas, representa uma oportunidade única para melhorar as ligações comerciais e de produção, explorando a competitividade industrial resultante da integração regional. O desenvolvimento industrial é de importância crítica para o crescimento económico sustentado e inclusivo nos países africanos.

A indústria pode aumentar a produtividade, ampliar as capacidades da força de trabalho e gerar emprego, introduzindo novos equipamentos e técnicas. A industrialização, com fortes ligações às economias domésticas, ajudará os países africanos a alcançar taxas de crescimento elevadas, diversificar suas economias e reduzir sua exposição a choques externos.

Isso contribuirá substancialmente para a erradicação da pobreza através do emprego e da criação de riqueza.

 

Contexto Histórico

Imagem © John Hogg (20231120) 20 De Novembro Dia Da Industrialização Africana A industrialização está intrinsecamente ligada à economia doméstica para alcançar uma expansão económica sustentável e inclusiva. A incorporação de novos equipamentos e processos ajuda as indústrias a aumentar a produtividade, aprimorar as competências dos funcionários e criar mais oportunidades de emprego. Assim, acelerando as taxas de crescimento em todas as nações africanas.

Em julho de 1989, a Organização da Unidade Africana (O.U.A.) realizou a sua 25ª Sessão Ordinária da Assembleia de Chefes de Estado e de Governo em Adis Abeba, Etiópia. O Dia da Industrialização Africana foi anunciado a 20 de Novembro durante esta sessão.

No âmbito da Segunda Década de Desenvolvimento Industrial para África (1991-2000), a Assembleia Geral das Nações Unidas, em Dezembro de 1989, proclamou a data de 20 de Novembro como “Dia da Industrialização Africana” (A/RES/44/237).

Desde então, o Sistema das Nações Unidas realiza eventos diversos neste dia em todo o mundo para sensibilizar sobre a importância da industrialização africana e os desafios enfrentados pelo continente.

Políticos locais e nacionais, bem como membros de grupos não governamentais nacionais e internacionais, envolvem-se, juntamente com outros. Líderes e autoridades apresentam os seus planos para promover a conversa sobre a industrialização africana e analisar o progresso ao longo dos anos.

A Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) é um organizador-chave desses eventos que comemoram o Dia da Industrialização Africana. Além disso, a sede da UNIDO faz anúncios em Viena, Áustria, para aumentar o reconhecimento mundial sobre a necessidade de sustentabilidade na industrialização.

 

O Tema De 2023

Imagem © Thandiwe Muriu (20231120) 20 De Novembro Dia Da Industrialização AfricanaO tema para o Dia da Industrialização Africana 2023 é “Acelerar a Industrialização da África Através do Empoderamento das Mulheres Africanas no Processamento para um Mercado Integrado“.

Este tema destaca o papel crucial das mulheres na condução da transformação industrial de África. Reconhece o imenso potencial das mulheres como empreendedoras, inovadoras e líderes nos setores de fabricação e processamento.

Ao capacitar as mulheres a participar plenamente nesses setores, África pode desbloquear uma riqueza de talento, experiência e espírito empreendedor, impulsionando o continente em direção a um crescimento económico sustentável e inclusivo.

 

A Mensagem do Secretário-Geral da ONU

“Acelerar a industrialização africana é crucial para o crescimento, a diversificação das economias, o fortalecimento da restência, o impulso ao emprego e o combate à pobreza”.

“No entanto, para ser bem-sucedida, a industrialização deve ser sustentável e inclusiva”.

“E, como destaca o tema deste ano, acelerar a industrialização africana depende da capacidade de dar mais poder às mulheres africanas”.

“Aumentar o número de mulheres em empregos na indústria é o caminho mais seguro para maximizar a produtividade e garantir que os benefícios do crescimento industrial alcancem as famílias e comunidades dos trabalhadores”.

“No Dia da Industrialização Africana, redobremos os esforços para desmantelar as barreiras que impedem as mulheres de participar e beneficiar do desenvolvimento industrial e da inovação tecnológica”.

“As Nações Unidas estão fortemente empenhadas em acelerar esses esforços e em trabalhar em conjunto em toda a África para alcançar os objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 2063 da União Africana”.

“Juntos, podemos realizar a visão de uma África pacífica e próspera para todos”.

 

Desafios da Industrialização Africana

A necessidade premente de industrialização em África vai além da mera exportação de recursos naturais brutos que muitas vezes retornam ao continente como produtos acabados a preços consideravelmente mais elevados. Para combater a pobreza, é crucial que África transforme a sua estrutura económica, criando empregos e valorizando os seus recursos humanos.

No âmbito dos esforços de industrialização, é imperativo abordar questões éticas, como o emprego de mão-de-obra infantil, discriminação de género no emprego e salário, além do estrito cumprimento das leis laborais. Estes desafios devem tornar-se relíquias do passado à medida que África avança no processo de diversificação da economia.

Apesar dos vastos recursos naturais, muitos países africanos ainda enfrentam subdesenvolvimento industrial. A África do Sul e o Egito, destacam-se como as nações mais industrializadas, enquanto o continente como um todo, procura reduzir a dependência de importações, incentivando a industrialização de produtos básicos.

 

Índice de Industrialização de África (IIA)

Imagem © Zorazhuang (20231120) 20 De Novembro Dia Da Industrialização AfricanaO Índice de Industrialização de África (IIA), lançado em 2022 pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), a União Africana (UA) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), reflete o compromisso em promover a industrialização como uma prioridade estratégica.

Este índice avalia o desempenho industrial de 52 países africanos, destacando a necessidade de políticas industriais proactivas para inverter a diminuição da quota de África na indústria transformadora mundial.

Ainda que África tenha demonstrado progressos encorajadores na industrialização, a pandemia do Covid-19 e outros desafios geopolíticos destacaram lacunas nos sistemas de produção. O continente tem uma oportunidade única de superar essas dificuldades através de uma maior integração, conquistando os seus próprios mercados emergentes.

O BAD, investindo até oito mil milhões de dólares nos últimos cinco anos na sua prioridade estratégica de “Industrializar África“, está comprometido em aumentar esses investimentos, especialmente no setor farmacêutico, até 2030. A construção de uma indústria produtiva é vista como essencial para a transformação estrutural acelerada, criação de empregos formais em escala e crescimento inclusivo.

Apesar dos progressos, África precisa continuar a enfrentar desafios cruciais para a industrialização, incluindo a diminuição da quota na indústria transformadora mundial. O norte de África continua a ser a região africana mais avançada em termos de desenvolvimento industrial, seguida pela África Austral, África Central, África Ocidental e África Oriental.

 

A Agenda 2063

A AGENDA 2063, adotada em Janeiro de 2015 pelos Chefes de Estados e Governos da União Africana em Adis Abeba, é o plano mestre de África para transformar o continente numa potência global do futuro.

Baseada em 7 aspirações e 20 prioridades, é a estrutura estratégica do continente que visa cumprir o objetivo de desenvolvimento inclusivo e sustentável, sendo uma manifestação concreta da procura pan-africana pela unidade, autodeterminação, liberdade, progresso e prosperidade coletiva, promovida sob o Pan-africanismo e Renascimento Africano.

A necessidade de vislumbrar uma trajetória de desenvolvimento de longo prazo de 50 anos para África é importante, uma vez que o continente precisa revisar e adaptar a sua agenda de desenvolvimento devido a transformações estruturais em curso, garantindo crescimento inclusivo, desenvolvimento sustentável, unidade política e respeito pela democracia e direitos humanos.

A Agenda 2063 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estão entrelaçados, pois ambos os programas visam um futuro comum mais sustentável num planeta saudável.

Conferência Económica Africana 2023

A Conferência Económica Africana de 2023, organizada em conjunto pelo BAD, pela Comissão Económica para África (CEA) e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), será realizada em Adis Abeba, no Centro de Conferências da ONU e em formato híbrido de 16 a 18 de Novembro de 2023.

O tema da conferência deste ano é “imperativos para o desenvolvimento industrial sustentável em África” e proporcionará uma plataforma para académicos estabelecidos e jovens investigadores apresentarem pesquisas orientadas para soluções a decisores políticos.

Década de Desenvolvimento Industrial para África

Em 25 de Julho de 2016, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou 2016-2025 como a Terceira Década de Desenvolvimento Industrial para África (DDIA III). A UNIDO foi encarregue de liderar a implementação da Década, em colaboração com diversos parceiros.

A visão para a implementação da DDIA III é ancorar firmemente África num caminho em direção ao desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável.

 

Conclusão

O Dia da Industrialização Africana não é apenas uma celebração, mas uma oportunidade de reflexão sobre o caminho do continente em direção ao desenvolvimento sustentável. Enfrentando desafios históricos e contemporâneos, África visa criar um futuro onde a industrialização seja um motor de crescimento inclusivo e económico.

África está no caminho certo e as iniciativas como o IIA fornecem ferramentas essenciais para medir o progresso e identificar as melhores práticas. A industrialização não é apenas um meio de crescimento económico, mas um catalisador para o desenvolvimento sustentável, inclusivo e próspero.

 

Achas que a Industrialização Africana é fundamental para o desenvolvimento do continente? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Dia Internacional Pela Erradicação Da Pobreza

14 De Outubro: Dia Mundial Das Aves Migratórias

Hoje, É O Dia Internacional Das Línguas Gestuais

21 De Setembro É O Dia Internacional Da Paz

Dia Internacional da Democracia, 15 de Setembro

8 De Setembro: Dia Internacional Da Alfabetização

31 De Agosto É O Dia Dos Afrodescendentes

29 de Agosto: Dia Internacional contra os Testes Nucleares

23 de Agosto: Dia Internacional em Memória do Tráfico de Escravos e da sua Abolição

20 De Julho É O Dia Mundial Do Xadrez

Dia Internacional Nelson Mandela: Honrar As Ideias De Um Grande Líder

O Dia Internacional Da Ioga É No Solstício

Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca

1 de Junho. Dia das Crianças do Leite e dos Pais

25 de Maio não é Dia de África é Dia do Mundo

22 de Maio: Dia Internacional da Diversidade Biológica

17 de Maio: Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação, mas não só

O Dia Internacional da Luz e a celebração da vida

3 de Maio: Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

30 de Abril é o Dia Internacional do Jazz

28 de Abril: Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho

24 de Abril: Dia Internacional do Multilateralismo e da Diplomacia pela Paz

1 de Abril o Dia das Mentiras morreu?

27 de Março é o dia Mundial do Teatro

23 de Março: Dia da Libertação da África Austral

O clima extremo do Dia Mundial da Meteorologia

Dia Mundial da Água celebra-se a 22 de Março

21 de Março: O dia do ano com mais efemérides

20 de Março é o Dia Internacional da Felicidade

19 de Março é Dia do Pai e Dia Mundial do Artesão

A verdadeira história do dia 8 de Março

14 de Fevereiro, não é só o Dia dos Namorados

14 de Fevereiro. Dia dos Namorados. Porquê?

13 de Fevereiro é o Dia Mundial do rádio

11 de Fevereiro é o Dia Internacional das Mulheres e Raparigas na Ciência

O Dia de África já tem 50 anos

Imagem: © UNIDO
Francisco Lopes-Santos
Francisco Lopes-Santos

Ex-atleta olímpico, tem um Doutoramento em Antropologia da Arte e dois Mestrados um em Treino de Alto Rendimento e outro em Belas Artes. Escritor prolifero, já publicou vários livros de Poesia e de Ficção, além de vários ensaios e artigos científicos.

Francisco Lopes-Santoshttp://xesko.webs.com
Ex-atleta olímpico, tem um Doutoramento em Antropologia da Arte e dois Mestrados um em Treino de Alto Rendimento e outro em Belas Artes. Escritor prolifero, já publicou vários livros de Poesia e de Ficção, além de vários ensaios e artigos científicos.
Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!