14.2 C
Londres
Domingo, Maio 26, 2024

Vaga De Calor No Sahel Tem Origem Humana

Para especialistas, as temperaturas superiores a 45°C que causaram um grande número de mortes na região, teriam sido impossíveis sem um aquecimento global de 1,2°C de origem humana.

Vaga De Calor No Sahel Tem Origem Humana


Um estudo publicado nesta quinta-feira, 18 de Abril de 2024, concluiu que a vaga de calor que atingiu o Sahel no início deste mês está ligada às alterações climáticas “induzidas pelo homem”.

De 1 a 5 de Abril, Mali e Burkina Fasso sofreram uma vaga de calor excecional, tanto em termos de duração como de intensidade, com temperaturas superiores a 45°C que causaram um grande número de mortes nestes países.

As observações dos cientistas e as comparações dos modelos de temperatura mostram que as ondas de calor observadas na região em Março e Abril de 2024, teriam sido impossíveis sem um aquecimento global de 1,2°C de origem humana, indicou um relatório de cientistas da rede World Weather Attribution (WWA).

O documento salientou que um episódio como o que afetou o Sahel durante cinco dias em Abril só ocorre uma vez a cada 200 anos.

As vagas de calor são comuns no Sahel nesta época do ano, mas a vaga de calor de Abril teria sido 1,4°C mais fria (…) se os seres humanos não tivessem provocado o aquecimento global através da queima de combustíveis fósseis, afirmaram os autores do relatório.

“Estas tendências vão manter-se com o aquecimento futuro”, lê-se no relatório.

A duração e a gravidade desta vaga de calor conduziram a um aumento do número de mortes e de hospitalizações registadas nestes países, apontou a WWA, apesar de as populações do Mali e do Burkina Fasso estarem aclimatadas às temperaturas elevadas.

Embora seja impossível contabilizar o número exato de vítimas, devido à falta de dados disponíveis nos países em causa, é provável que tenham ocorrido centenas, se não milhares, de outras mortes relacionadas com o calor, afirmou a WWA.

Desde os anos de 1970, os países do Sahel têm sido confrontados com secas, bem como com episódios de precipitação intensa a partir dos anos de 1990.

A diminuição da disponibilidade de água e de pastagens, acentuada pelo desenvolvimento das terras agrícolas, perturbou a vida das populações pastoris e favoreceu o aparecimento de grupos armados que se apoderaram de vastas extensões de território no Mali, no Burkina Fasso e no Níger.

 

Conclusão


Considerando o impacto das alterações climáticas de origem humana na vaga de calor no Sahel, é crucial reconhecer a urgência de medidas para mitigar os efeitos do aquecimento global. O estudo destaca não apenas a severidade do evento, mas também a sua ligação direta às atividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis.

Consequentemente, é fundamental adotar políticas e práticas que reduzam as emissões de gases de efeito estufa e promovam a sustentabilidade ambiental. Além disso, é essencial fortalecer os sistemas de alerta precoce e os planos de resposta a emergências para proteger as populações vulneráveis e minimizar os impactos das futuras vagas de calor no Sahel.

 

O que achas desta grave situação climática no Sahel? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Clima: Já passámos o ponto de não retorno?

O Mundo pode entrar num círculo de destruição

Crise Climática Vai Piorar conflitos Em África

Girafas e papagaios entre as espécies em vias de extinção

 


Imagem: © 2016 Marie Monimart / IIED
Lusa - Agência de Notícias de Portugal
Agencia Lusa

É a maior agência noticiosa de língua portuguesa, faz parte da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa e tem mais de 280 jornalistas espalhados por todo o mundo. Para além das principais cidades de Portugal, a Lusa tem delegações ou correspondentes permanentes na Bélgica, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Rússia, Estónia, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Índia, São Tomé e Príncipe, África do Sul, Argélia, Timor-Leste, Macau, China, Brasil, Venezuela, Estados Unidos, Canadá e Austrália. Fornece um serviço noticioso a inúmeros jornais, rádios e canais de televisão portugueses, aos meios de comunicação social das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e a agências noticiosas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Subscrevem também os serviços da Lusa diversas instituições públicas e privadas.

Agencia Lusahttps://www.lusa.pt/
É a maior agência noticiosa de língua portuguesa, faz parte da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa e tem mais de 280 jornalistas espalhados por todo o mundo. Para além das principais cidades de Portugal, a Lusa tem delegações ou correspondentes permanentes na Bélgica, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Rússia, Estónia, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Índia, São Tomé e Príncipe, África do Sul, Argélia, Timor-Leste, Macau, China, Brasil, Venezuela, Estados Unidos, Canadá e Austrália. Fornece um serviço noticioso a inúmeros jornais, rádios e canais de televisão portugueses, aos meios de comunicação social das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e a agências noticiosas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Subscrevem também os serviços da Lusa diversas instituições públicas e privadas.
Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com