19.6 C
Londres
Domingo, Maio 26, 2024

Rebeldes do M23 ganham terreno na RDC

O grupo M23, dominado por tutsis, manteve-se inativo durante quase uma década, mas retomou os combates no final de 2021.

Rebeldes do M23 ganham terreno na RDC 

Os rebeldes do Movimento 23 de Março (M23) estão a ganhar posições na província do Kivu Norte, na República Democrática do Congo (RDC), depois do fracasso do cessar-fogo, referem fontes locais.

Segundo fontes citadas pela agência France-Presse, os combates continuam entre o exército congolês e os grupos locais armados, de um lado, e os rebeldes do M23, apoiados pelo exército do Rwanda, segundo as autoridades de Kinshasa e a Organização das Nações Unidas (ONU).

O cessar-fogo devia ter tido lugar desde terça-feira “em toda a região oriental da RDC”, com base no calendário acordo em 03 de março, na minicimeira de Luanda e, anunciado pela presidência de Angola, mediadora nomeada pela União Africana (UA) para este conflito.

Ainda assim, os rebeldes avançaram e reforçaram o seu controlo sobre a capital provincial, Goma, uma cidade de mais de um milhão de habitantes, entre o Rwanda, a leste, e o lago Kivu, a sul.

O M23 lançou uma ofensiva em torno de Kirotshe e Shasha, nas margens do Lago Kivu, cortando parte do tráfego na estrada nacional para o Kivu Sul.

“Desde a manhã, tem havido combates após o ataque da M23”.

Disse ao telefone, Clodius Buhaze, membro da sociedade civil local, acrescentando que os rebeldes estão nas colinas “por cima do hospital, a menos de um quilómetro da estrada” e estão a ganhar terreno ao exército e aos milicianos locais que participaram nos combates.

O tenente-coronel Guillaume Ndjike, porta-voz da província do Kivu Norte, pediu à população, num vídeo colocado na rede social Twitter hoje à tarde para:

“Não atacar os vários contingentes destacados como parte da força regional da Comunidade da África Oriental”.

Esta força inicialmente foi mobilizada para impedir o avanço do M23, mas encontrou alguma hostilidade por parte da população que a acusa de apatia, reportou ainda a agência noticiosa francesa.

O grupo M23, dominado por tutsis, manteve-se inativo durante quase uma década, mas retomou os combates no final de 2021. Kinshasa acusa o Rwanda de apoiar este movimento rebelde, o que foi corroborado por peritos das Nações Unidas, ainda que Kigali o negue.

 

O que achas desta situação na RDC? Acreditavas que Angola ia conseguir mediar o Cessar-fogo? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Visita do Papa a África pode ajudar a matar a fome

Parem de sufocar África, afirmou o Papa Francisco

Imagem: © 2023 Guerchom Ndebo
Lusa - Agência de Notícias de Portugal
Agencia Lusa

É a maior agência noticiosa de língua portuguesa, faz parte da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa e tem mais de 280 jornalistas espalhados por todo o mundo. Para além das principais cidades de Portugal, a Lusa tem delegações ou correspondentes permanentes na Bélgica, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Rússia, Estónia, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Índia, São Tomé e Príncipe, África do Sul, Argélia, Timor-Leste, Macau, China, Brasil, Venezuela, Estados Unidos, Canadá e Austrália. Fornece um serviço noticioso a inúmeros jornais, rádios e canais de televisão portugueses, aos meios de comunicação social das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e a agências noticiosas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Subscrevem também os serviços da Lusa diversas instituições públicas e privadas.

Agencia Lusahttps://www.lusa.pt/
É a maior agência noticiosa de língua portuguesa, faz parte da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa e tem mais de 280 jornalistas espalhados por todo o mundo. Para além das principais cidades de Portugal, a Lusa tem delegações ou correspondentes permanentes na Bélgica, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Rússia, Estónia, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Índia, São Tomé e Príncipe, África do Sul, Argélia, Timor-Leste, Macau, China, Brasil, Venezuela, Estados Unidos, Canadá e Austrália. Fornece um serviço noticioso a inúmeros jornais, rádios e canais de televisão portugueses, aos meios de comunicação social das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e a agências noticiosas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Subscrevem também os serviços da Lusa diversas instituições públicas e privadas.
Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com