9.6 C
Londres
Sábado, Maio 25, 2024

Crescimento do PIB africano estabiliza em 2023

Os principais motores da depreciação da moeda incluem as condições financeiras globais mais restritivas.

Crescimento do PIB africano estabiliza em 2023.

Crescimento médio do PIB africano estabiliza em 2023, apesar dos recentes ventos contrários, diz o novo relatório do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD). As condições mundiais desfavoráveis levaram ao aumento da inflação, a custos mais elevados do serviço da dívida e a um aumento do risco de dívida excessiva nos países em desenvolvimento

As economias africanas permanecem resilientes e com uma perspectiva estável neste e no próximo ano, apesar das condições financeiras mundiais apertadas, prevê o Banco Africano de Desenvolvimento (AfDB) num novo relatório.

O relatório Desempenho e Perspectivas Macroeconómicas de África em 2023 (MEO), estima que a média do PIB africano se estabilize em 4% nos próximos dois anos, contra 3,8% em 2022.

 

O Relatório

Ao apresentar o relatório, a 17 de Fevereiro de 2023, à margem da 36ª Assembleia da União Africana em Adis Abeba, o economista chefe e vice-presidente do BAD, Kevin Urama, afirmou que o continente poderia beneficiar da elevada procura das suas matérias-primas, uma vez que os países procuram alternativas alimentares e energéticas em resposta às perturbações causadas pela guerra na Ucrânia.

O continente, observou, continua a ser um tesouro para investidores inteligentes a nível mundial, mas deve lutar por taxas de crescimento mais elevadas, economias mais inclusivas, e maior resistência a choques externos, garantindo que a média do PIB africano se estabilize.

“A perspectiva estável projetada para 2023-2024 reflete o contínuo apoio às políticas em África, os esforços globais para mitigar o impacto dos choques externos e o aumento da incerteza na economia global”, disse.

A nova publicação, a ser lançada no primeiro e terceiro trimestres de cada ano, proporcionará uma avaliação atualizada e baseada em evidências sobre o desempenho macroeconómico recente do continente e as perspectivas a curto e médio prazo, no meio de uma evolução económica global dinâmica.

 

A evolução económica

As condições mundiais desfavoráveis levaram ao aumento da inflação, a custos mais elevados do serviço da dívida e a um aumento do risco de dívida excessiva nos países em desenvolvimento, incluindo África.

Urama instou a ações políticas arrojadas:

“Para colmatar as significativas lacunas de financiamento em África, é imperativo adotar políticas que possam mobilizar e alavancar o financiamento privado para o desenvolvimento em África”.

“Tal como em muitas economias nos mercados emergentes, o aperto das condições financeiras e a valorização do dólar americano tiveram consequências desastrosas para a maioria das economias africanas”.

“Também se tornou difícil para os países africanos aceder aos mercados internacionais de capitais para novos financiamentos”, afirmou.

A maioria das moedas africanas, especialmente nos países exportadores de matérias-primas, perdeu um valor substancial em relação ao dólar em 2022, devido ao aperto da política monetária nos Estados Unidos. As taxas de depreciação variaram entre 21% no Malawi e 69% no Sudão do Sul.

Urama advertiu que a fraqueza da moeda nas economias mais globalmente integradas de África, como a Argélia, Quénia, Nigéria e África do Sul, pode persistir em 2023, afetando a média do PIB africano.

“Os principais motores da depreciação da moeda incluem as condições financeiras globais mais restritivas”, disse Urama.

As posições orçamentais dos países africanos já foram esticadas pelas respostas políticas à Covid-19 e pelo apoio às populações vulneráveis contra o aumento dos preços dos alimentos e da energia, num contexto de uma dívida elevada e impactos das alterações climáticas.

Outros ventos adversos económicos incluem os efeitos colaterais do aumento das tensões geopolíticas, particularmente a invasão russa da Ucrânia. Estas condições estão a empurrar a estabilidade dos preços para lá do controlo da maioria dos bancos centrais.

 

O que achas disto? Acreditas que o PIB africano se manterá estável apesar de todos os problemas no continente? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.
Imagem: © 2023 AfDB
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com