4.6 C
Londres
Segunda-feira, Abril 22, 2024

BEI faz acordo para Corredor Rodoviário da Guiné-Bissau

O projeto do Corredor Rodoviário Resiliente da Guiné-Bissau também está a ser cofinanciado pelo Banco Mundial.

BEI faz acordo para Corredor Rodoviário da Guiné-Bissau.

O Banco Europeu de Investimento (BEI) lançou um acordo de cooperação e assistência técnica para o projeto do Corredor Rodoviário Resiliente da Guiné-Bissau. O acordo de cooperação foi assinado pelo Ministro das Finanças da Guiné-Bissau, Ilídio Vieira Té, pelo Vice-Presidente do BEI, Thomas Östros, e pela Comissária Europeia para as Parcerias Internacionais, Jutta Urpilainen.

A assinatura do acordo ocorreu na 5ª Conferência da ONU sobre os Países Menos Desenvolvidos (LDC5), no Catar. O Corredor Rodoviário Resiliente da Guiné-Bissau, faz parte do Corredor Estratégico Praia-Dacar-Abidjan.

 

Um projeto de grande impacto

O Corredor Rodoviário Resiliente da Guiné-Bissau faz parte do Pacote de Investimento da Global Gateway UE-África e é um projeto estratégico que deve aumentar o comércio intrarregional, a eficiência económica e representar o principal meio de transporte para a maioria das comunidades rurais.

O projeto de reabilitação da estrada que liga SAFIM ao MPACK deve facilitar a mobilidade, melhorar o acesso à saúde e à educação, sobretudo para mulheres e crianças em zonas rurais, e contribuir significativamente para os esforços de integração regional da Guiné-Bissau.

O acordo de cooperação assinado com a Guiné-Bissau diz respeito à primeira etapa da cooperação e assistência técnica, que deve prestar apoio em aspetos-chave como aquisições, gestão de salvaguardas ambientais e sociais, segurança rodoviária e resiliência climática, com vista a assegurar a sustentabilidade do projeto.

A assistência técnica tem o valor de até 3,5 milhões de euros e é um passo importante na implementação deste projeto de corredor rodoviário.

 

BEI mobiliza conhecimentos

O Vice-Presidente do BEI, Thomas Östros, afirmou que está orgulhoso de mobilizar os conhecimentos do banco para apoiar a implementação deste projeto estratégico relevante para a região. Ele espera que este projeto seja seguido por muitos outros em setores-chave para a Guiné-Bissau com o apoio do BEI e da UE.

A Comissária Europeia para as Parcerias Internacionais Jutta Urpilainen disse:

“O projeto do Corredor Rodoviário Resiliente para reabilitar a estrada principal que liga a capital da Guiné-Bissau ao Senegal é um verdadeiro projeto líder da Global Gateway UE-África”.

“Enquanto parte do Corredor Estratégico Praia-Dacar-Abidjan, vai facilitar a mobilidade e o comércio em África, e entre a África e a Europa”.

“O acordo de assistência técnica assinado hoje é um passo importante no avanço de uma interligação mais verde e, aguardo os próximos passos com expectativa”.

O projeto do Corredor Rodoviário Resiliente da Guiné-Bissau também está a ser cofinanciado pelo Banco Mundial.

 

A União Europeia (UE)

Fundada sobre os valores do respeito pela dignidade humana, liberdade, democracia, igualdade, estado de direito, e respeito pelos direitos humanos, incluindo os direitos das pessoas que fazem parte de minorias, a União Europeia é uma união económica e política de 27 países europeus. Actua globalmente para promover o desenvolvimento sustentável das sociedades, ambientes e economias, para o benefício de todos.

 

O Banco Europeu de Investimento (BEI)

A instituição de concessão de crédito de longo prazo da União Europeia, é o O Banco Europeu de Investimento (BEI), detida pelos seus Estados-Membros. Disponibiliza financiamento a longo prazo para investimentos sólidos, a fim de contribuir para os objetivos de políticas da UE. O BEI é um parceiro forte dos países africanos há mais de 55 anos.

A divisão especializada do grupo BEI dedicada a melhorar o impacto das parcerias internacionais e o financiamento do desenvolvimento é o BEI Global. Foi concebida para fomentar parcerias fortes e direcionadas sob a égide da Equipa Europa, juntamente com outras instituições de financiamento e com a sociedade civil.

A BEI Global aproxima o BEI das populações, empresas e instituições através de escritórios por todo o mundo. Através da BEI Global, o banco está a reforçar a sua presença em África.

Ao longo da última década, o BEI disponibilizou mais de 28 mil milhões de euros em tecnologias inovadoras, telecomunicações, energia limpa, água, educação, agricultura, saúde e investimentos em 40 países por todo o continente.

Durante a pandemia, o BEI disponibilizou mais de 8,5 mil milhões de euros para novos investimentos privados e públicos em África.

 

Conclusão

Em suma, o acordo de cooperação e assistência técnica para o projeto do Corredor Rodoviário Resiliente da Guiné-Bissau representa um passo importante para o desenvolvimento da infraestrutura rodoviária na região.

O projeto tem grande potencial para aumentar a mobilidade, facilitar o comércio intrarregional, melhorar o acesso à saúde e educação, e estimular as atividades econômicas ao longo e além do corredor.

Com a assistência técnica do BEI e o cofinanciamento do Banco Mundial, espera-se que o projeto seja um verdadeiro sucesso e um exemplo para futuros investimentos em infraestrutura na Guiné-Bissau e na África como um todo.

 

O que achas deste projecto? Conhecias o BEI? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.
Imagem: © 2022 AfDB
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!