6.3 C
Londres
Domingo, Abril 21, 2024

FAO: Desafios Na Agricultura Em Angola

Angola tem o potencial de erradicar a fome e de se tornar autossuficiente na produção de alimentos.

FAO: Desafios Na Agricultura Em Angola


Gherda Barreto, representante da FAO em Angola, destaca os desafios e recomendações para o setor agrícola em Angola, salientando a importância de um equilíbrio entre investimentos em infraestruturas e no capital humano. Gherda Barreto, em fim de mandato, foi recebida pelo ministro da Agricultura e Florestas angolano, António de Assis, para uma análise das ações da FAO nos últimos cinco anos em Angola.

 

O Balanço da FAO 

A representante da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Alimentação e Agricultura (FAO) em Angola, Gherda Barreto, recomendou ao Governo angolano a realização de um balanço entre os investimentos em infraestruturas e capital humano.

Durante uma reunião com o ministro da Agricultura e Florestas, António de Assis, Barreto fez uma avaliação das ações da FAO nos últimos cinco anos e destacou a importância de direcionar recursos para o desenvolvimento do setor agrícola.

Um dos pontos abordados por Gherda Barreto foi a necessidade de investir em infraestruturas de grande escala, como estradas e armazenamento, a fim de melhorar a logística e aumentar a eficiência na produção agrícola.

No entanto, ela salientou a importância de equilibrar esses investimentos com o desenvolvimento do capital humano, por meio de programas de preparação e acesso ao crédito para micro e pequenas empresas. Outro desafio apontado pela representante da FAO em Angola foi a valorização das mulheres rurais que representam 60% da força de trabalho no sector agrícola.

Barreto recomendou que os programas sejam direccionados especificamente para atender às necessidades das mulheres rurais, com metas concretas de financiamento e acesso à terra. Além disso, Gherda Barreto destacou a importância de valorizar os produtos agrícolas e garantir preços justos aos agricultores.

Enfatizou ainda, a necessidade de equilibrar os preços dos produtos com os preços de mercado, a fim de apoiar os agricultores na reposição dos seus factores produtivos.

Equilíbrio de Preços

Outro desafio mencionado pela representante da FAO, foi a dependência de Angola em relação à importação de insumos agrícolas, como fertilizantes e sementes. Ela salientou a importância de investir na produção de sementes e no fortalecimento da rede de laboratórios do país para aumentar a produtividade agrícola. Gherda Barreto acredita que Angola possui recursos humanos e naturais para erradicar a fome no país.

Ela destacou que a agricultura familiar é fundamental para alimentar a população angolana e toda a África. A representante da FAO elogiou os esforços do Ministério da Agricultura e Florestas nos últimos cinco anos para posicionar a agricultura como o centro da diversificação económica do país. Durante o encontro, Gherda Barreto também mencionou o programa das escolas de campo que tem sido fortalecido pelo governo angolano.

Essas escolas têm o objetivo de preparar os agricultores e promover a troca de conhecimentos e experiências entre os produtores rurais. A representante da FAO elogiou o crescimento do programa nos últimos cinco anos que passou de três províncias para a implementação em todo o país.

A representante da FAO em Angola ainda recomendou ao governo a realização de um balanço entre os investimentos em infraestruturas e o capital humano, visando o desenvolvimento sustentável do sector agrícola.

Ela também salientou a importância de valorizar as mulheres rurais, garantir preços justos aos agricultores e investir na produção de insumos agrícolas. Com recursos humanos e naturais disponíveis, Angola tem o potencial de erradicar a fome e de se tornar autossuficiente na produção de alimentos.

 

Conclusão

A agricultura familiar e o investimento nas mulheres rurais são apontados como fundamentais para a segurança alimentar em Angola. É urgente promover políticas que valorizem os produtos agrícolas, fortaleçam a soberania do país em termos de investimentos agrícolas e estimulem a produção sustentável.

 

O que pensas desta análise da FAO? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Imagem: © 2015 DR
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!