11.3 C
Londres
Sábado, Maio 25, 2024

Povos de África: San, os Ancestrais do Mundo

Os San são um dos catorze povos ainda existentes da chamada "população ancestral", a partir da qual todos os seres humanos modernos conhecidos descendem.

Povos de África: San, os Ancestrais do Mundo.

Conheces os San? Não? Então vais ficar a conhecer.

África é um dos continentes com alguns povos que ainda mantêm as suas culturas intactas, ou quase.

Hoje, terminamos a série de vários artigos, sobre alguns destes povos de África (mas muito poucos, como se viu) que conseguiram preservar as suas culturas intactas durante séculos.

Em áreas remotas e planícies ricas do continente, existem grupos de pessoas que continuam a viver pacificamente, sem depender de nenhuma das invenções que o mundo moderno tanto valoriza.

Troucemos aos nossos leitores algumas dessas comunidades cujas tradições, costumes e modo de vida têm resistido surpreendentemente ao teste do tempo e à força arrebatadora da modernização.

Embora discutível para uns, não podemos deixar de reconhecer a coragem dos que continuam a viver da maneira que os seus antepassados viveram há gerações e, ao terminar esta série de artigos, nada melhor do que com aquele que é considerado o Povo mais antigo do Mundo. Os San.

 

Os San

Imagem © DR (20230702) Povos de África San, os Ancestrais do MundoOs “bushmen” (do afrikaans, buschjersman, “homens do mato”), em português traduzido para “bosquímanos”, foi o nome pejorativo dado a este povo, pelos primeiros fazendeiros europeus (Holandeses-Boers) a chegarem à região que os viam como uma tribo de selvagens.

São erradamente conhecidos como Povo San, também um nome pejorativo dado pelos colonizadores Bantu, quando estes se depararam com eles, na sua expansão para a zona sul de África e cujo significado é “aqueles que recolhem alimentos”.

Na realidade, eles denominam-se a si mesmos de “O Povo” e com razão, pois são a civilização mais antiga conhecida no Mundo, havendo registos arqueológicos da sua existência que remontam a 200.000 anos atrás o que faz deles os ancestrais de toda a humanidade.

Diz a lenda que, quando foram expulsos dos seus territórios ancestrais, lançaram uma maldição nas terras entre os rios Zambeze e Limpopo (actual Zimbabwe). Juraram que outros podiam ali viver, mas nenhum outro iria conseguir controlar a região e nunca haveria paz.

Em tempos idos, dominaram toda a região da África Austral, mas aos poucos, este povo de caçadores-recolectores, foram sendo empurrados para as areias do deserto do Kalahari, onde vivem presentemente. Primeiro pelos povos Bantu que na sua expansão em África, os rechaçaram mais para o sul dos seus territórios e depois pelos fazendeiros Boers europeus.

 

Ancestralidade

Os San são um dos catorze povos ainda existentes da chamada “população ancestral”, a partir da qual todos os seres humanos modernos conhecidos descendem.

Oriundos de uma sociedade de partilha, onde a competição e a inveja não têm lugar, os San vivem em pequenos grupos familiares e não têm um líder. Segundo alguns eruditos, são a mais antiga cultura do mundo e teriam sido eles que, há milhares de anos, pintaram as cavernas de África.

A ancestralidade dos San remonta a tempos imemoriais, ligando-os às raízes mais profundas da humanidade. Através de uma linhagem ancestral que perdura até hoje, eles carregam consigo a sabedoria e a herança das gerações passadas.

A vida em pequenos grupos familiares é uma característica marcante da organização social dos San. Eles valorizam a interdependência e a cooperação entre os membros da comunidade, compartilhando recursos e responsabilidades de forma igualitária. A ausência de um líder centralizado permite que cada membro contribua com seu conhecimento e experiência para o bem-estar coletivo.

A cultura dos San é enraizada em uma visão holística do mundo, na qual os seres humanos estão intrinsecamente ligados à natureza e aos outros seres vivos. Essa cosmovisão respeitosa e harmoniosa reflete-se nas suas práticas cotidianas e na forma como se relacionam com o meio ambiente ao seu redor.

A arte rupestre encontrada nas cavernas africanas é um testemunho vivo da ancestralidade dos San. Através dessas pinturas, eles expressam as suas histórias, crenças e ligação profunda com a terra. Cada traço, cada imagem retratada nas rochas revela um legado cultural duradouro e uma ligação indissolúvel com as suas origens.

Os San são guardiões da memória ancestral da humanidade. Eles mantêm viva a chama da tradição, transmitindo de geração em geração os conhecimentos e ensinamentos que moldaram a sua existência ao longo dos tempos.

 

Ligação com a Natureza

Imagem © DR (20230702) Povos de África San, os Ancestrais do MundoOs San são reconhecidos pelas suas habilidades notáveis de sobrevivência no deserto do Kalahari. Como caçadores-recolectores, eles desenvolveram técnicas sofisticadas para encontrar alimentos e água num ambiente árido.

O seu profundo conhecimento da flora e da fauna local permite-lhes identificar plantas medicinais, localizar animais e utilizar técnicas de caça eficazes. Além disso, têm um profundo respeito pela natureza e acreditam na vida em harmonia com o meio ambiente que os rodeia.

Para os San, a natureza é vista como uma fonte de sustento e também como um sistema complexo que precisa ser preservado. Eles compreendem a importância de conservar os recursos naturais e utilizam técnicas sustentáveis de caça e recolha de alimentos.

Através do seu conhecimento profundo da ecologia local, são capazes de identificar os melhores momentos e locais para encontrar alimentos, adaptando-se às condições do ambiente.

Além das habilidades de sobrevivência, os San têm uma ligação espiritual profunda com a natureza. Acreditam que todas as criaturas, plantas e elementos naturais possuem um espírito e por isso, todos merecem respeito. Eles realizam rituais e cerimónias para honrar a natureza e expressar gratidão pelos recursos que recebem.

A ligação dos San com a natureza vai além da sua própria subsistência. Eles entendem que são parte integrante do ecossistema e reconhecem a importância de manter o equilíbrio ecológico.

Ao viver em harmonia com a natureza, os San demonstram uma sabedoria ancestral que nos ensina sobre a importância da preservação ambiental e da relação equilibrada entre seres humanos e o mundo natural.

 

A Sociedade San

Imagem © DR (20230702) Povos de África San, os Ancestrais do MundoOs San têm uma forma de vida baseada em pequenas comunidades familiares, onde a cooperação e a partilha desempenham um papel fundamental. Essas comunidades são compostas por grupos de parentesco estreito, formados por várias famílias relacionadas entre si.

Não existe uma estrutura hierárquica rígida, e as decisões são tomadas através de um sistema de consenso, levando em consideração as opiniões e necessidades de todos os membros da comunidade.

Cada indivíduo desempenha um papel importante dentro da comunidade San, contribuindo com as suas habilidades e conhecimentos específicos. Os homens são responsáveis pela caça, enquanto as mulheres se dedicam à recoleção de alimentos, como frutas, raízes e tubérculos. Além disso, cada membro da comunidade desempenha um papel na educação das crianças e no cuidar dos idosos.

Essa organização social igualitária dos San reflete-se também nas relações de género. Homens e mulheres têm papéis complementares e igualmente valorizados na comunidade, sendo as suas contribuições essenciais para a sobrevivência e o bem-estar de todos.

A partilha é um valor fundamental na vida dos San. Eles partilham recursos, como alimentos, água e abrigo, de forma equitativa, garantindo que todos tenham acesso ao que é necessário para sobreviver.

Esta prática de partilha é uma expressão da solidariedade e cooperação presentes na comunidade San, permitindo que enfrentem os desafios do ambiente hostil do deserto do Kalahari e mantenham a sua subsistência.

A vida e organização social dos San, ensina-nos lições ímpares sobre a importância da colaboração, solidariedade e igualdade dentro de uma comunidade. Eles demonstram como é possível viver em harmonia com o meio ambiente e entre si, respeitando os conhecimentos tradicionais e valorizando a contribuição de cada membro dessa comunidade.

Através dessa forma de vida ancestral, os San inspiram-nos a repensar as nossas próprias estruturas sociais e a procurar um maior equilíbrio com a natureza e com os nossos semelhantes.

 

A Cultural San

Imagem © DR (20230702) Povos de África San, os Ancestrais do MundoUma das contribuições mais notáveis dos San para a arte africana, é a sua arte rupestre. Há milhares de anos que eles utilizavam as paredes das cavernas para criar pinturas vibrantes, retratando cenas de caça, animais e rituais.

Essas pinturas servem como um registo valioso da sua história e cultura, transmitindo conhecimentos ancestrais de geração em geração. A arte rupestre dos San é apreciada pela sua beleza e importância arqueológica, oferecendo um vislumbre das raízes profundas deste povo ancestral.

Através das suas representações artísticas, os San comunicavam e registavam informações sobre o seu estilo de vida, crenças espirituais e práticas culturais. As pinturas rupestres eram criadas com cores vivas e detalhes meticulosos, revelando a habilidade artística e a observação atenta desses antigos artistas.

Os temas retratados nas pinturas incluem a vida quotidiana, os animais que caçavam, as cenas de rituais e as histórias da sua comunidade. Além das pinturas rupestres, a expressão cultural dos San também se manifesta através da música, dança e contos transmitidos oralmente.

Imagem © DR (20230702) Povos de África San, os Ancestrais do MundoA música desempenha um papel significativo na vida dos San, sendo utilizada em cerimónias, rituais de caça e celebrações. Através de instrumentos musicais feitos à mão, como arcos musicais e maracas, eles criam melodias cativantes que refletem a sua ligação com a natureza e o mundo espiritual.

A dança é outra forma de expressão cultural dos San, desempenhando um papel importante nas suas interações sociais e rituais. As danças são realizadas em círculos, com movimentos rítmicos e expressivos, acompanhados por palmas e cânticos. Cada movimento tem um significado simbólico, transmitindo histórias, emoções e ligações com o divino.

Através da sua língua, arte rupestre, música e dança, os San preservam a sua identidade cultural e mantêm vivas as tradições dos seus antepassados. Essas expressões culturais não apenas enriquecem a sua própria comunidade, mas também proporcionam uma oportunidade para que outras pessoas conheçam e apreciem a riqueza da cultura San.

 

A Língua dos San

A língua do povo San é única e distintiva. É chamada de língua ǃKung e faz parte do grupo de línguas khoisan, conhecidas pelas suas características fonéticas peculiares, como cliques. Os cliques são sons produzidos por movimentos da língua, lábios e palato, criando uma série de sons distintos e tonais.

A língua ǃKung é uma das muitas variações linguísticas encontradas entre os diferentes grupos San. Cada grupo possui a sua própria língua e dialeto específico, com as suas particularidades e variações regionais.

Além dos cliques, a língua ǃKung também apresenta uma rica diversidade vocabular para descrever o ambiente natural ao seu redor. Os San têm um conhecimento profundo das plantas, animais e recursos naturais de suas terras e, a sua língua, reflete essa ligação íntima com a natureza.

A língua ǃKung, assim como outras línguas San, desempenha um papel crucial na transmissão do conhecimento ancestral, nas práticas culturais e na comunicação dentro das comunidades San. É um tesouro linguístico e cultural que merece ser valorizado e protegido, contribuindo para a diversidade linguística global e para a preservação da rica herança do povo San.

Infelizmente, devido a vários fatores, incluindo pressões sociais, políticas e linguísticas, a língua ǃKung e outras línguas San estão ameaçadas de extinção. A influência de línguas dominantes, bem como a assimilação cultural, têm contribuído para o declínio do uso dessas línguas tradicionais dentro das comunidades San.

No entanto, existem esforços de revitalização e preservação em andamento, tanto por parte dos próprios povos San quanto por organizações e pesquisadores interessados na manutenção da diversidade linguística e cultural.

Essas iniciativas visam valorizar e fortalecer o uso da língua ǃKung e outras línguas San, garantindo que esses importantes aspectos da identidade do povo San sejam preservados para as gerações futuras.

 

A Dança da Cura

Imagem © DR (20230702) Povos de África San, os Ancestrais do MundoOs San têm um sistema próprio de crenças, uma língua única, baseada em estalidos feitos com a boca e até mesmo uma dança típica, a “dança da cura”.

Esta dança é o elemento mais misterioso dos San. É um ritual em que entram num estado de consciência alterada que é atingido durante a dança rítmica em conjunto com a hiperventilação da respiração.

Durante as danças, que podem durar toda a noite, os San acreditam ficar imbuídos da potência animal e têm acesso ao reino espiritual onde podem entrar em contato com Deus, lutar contra espíritos malignos, ganhar poderes de cura e ter visões.

A combinação dos movimentos de dança repetitivos misturados com o canto, palmas e tambores, ajuda a liberar o n|om (força vital) nos homens que dança ao redor do círculo na base de sua coluna vertebral. Quando o n|om é ativado desta maneira, a energia move-se dentro deles, o que promove a autocura e dá-lhes o poder de ajudar a curar os outros.

É esta energia espiritual que permite aos curandeiros superdotados “ver” as doenças e usarem a técnica da imposição das mãos, para afastar fisicamente as enfermidades e não só, pois também pode ser usada para curar aspectos negativos da comunidade, como a raiva e os conflitos.

 

Preservação Cultural

Imagem © DR (20230702) Povos de África San, os Ancestrais do MundoInfelizmente, ao longo dos séculos, os San têm enfrentado desafios significativos devido à pressão da colonização, ao avanço da urbanização e à perda de território. No entanto, estão a ser feitos esforços para preservar a sua cultura e tradições.

Organizações e projetos de conservação trabalham em estreita colaboração com as comunidades San, promovendo a valorização da sua língua, rituais, danças e conhecimentos tradicionais. Esses esforços são fundamentais para garantir que a rica herança cultural dos San seja transmitida para as futuras gerações.

A preservação da cultura San baseia-se na valorização e no respeito pelas suas práticas ancestrais. Isso inclui a documentação e a recolha de histórias, lendas e mitos transmitidos oralmente ao longo dos tempos. Além disso, a promoção da língua San é uma prioridade, uma vez que a língua desempenha um papel central na transmissão dos conhecimentos e na preservação da identidade cultural.

Outro aspeto importante é o reconhecimento e apoio às formas de expressão cultural dos San, como a música, a dança e as artes visuais. Através de festivais e eventos culturais, as comunidades San têm a oportunidade de partilhar a sua arte e tradições com o público em geral, promovendo a compreensão e o respeito pela sua cultura única.

Além disso, projetos de ecoturismo têm sido desenvolvidos em áreas habitadas pelos San, proporcionando uma fonte de rendimento sustentável para as comunidades locais. Essas iniciativas permitem que os San compartilhem a sua sabedoria sobre a natureza e o ambiente com os visitantes, ao mesmo tempo que preservam os seus meios de subsistência tradicionais.

A preservação da cultura San é um processo contínuo e desafiador. É essencial envolver as próprias comunidades San nas decisões e nos esforços de conservação, garantindo que as suas perspetivas e interesses sejam respeitados. Somente através de uma abordagem colaborativa e inclusiva, é possível garantir a sobrevivência e a continuidade da rica herança cultural dos San.

 

Conclusão

Os San são um povo notável, cuja história e cultura oferecem uma visão sobre a riqueza da diversidade humana. Através do seu estilo de vida baseado na cooperação, habilidades de sobrevivência no deserto e ligação profunda com a natureza, os San mostram-nos uma forma de existência em harmonia com o mundo real, a natureza.

Valorizar e respeitar os seus conhecimentos tradicionais, habilidades de sobrevivência e a sua arte, é essencial para manter viva a herança desse povo ancestral. Os San são uma lembrança valiosa da diversidade cultural e da história da humanidade, oferecendo-nos uma oportunidade de reflexão e apreciação sobre a riqueza da nossa própria existência.

 

O que pensas sobre isto, é interessante, não é? Já tinha ouvido falar dos San? Dá-nos a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Povos de África: Os Pigmeus da África Central

Povos de África: Os Massai, o Fascínio de África

Povos de África: Turkana, os sobreviventes

Povos de África: Os Tuaregues, os Guerreiros do Saara

Povos de África: Conheça os Wodaabe do Níger e Chade

Povos de África: Conheça os Himba da Namíbia

Povos de África: Conheça os Dogon do Mali

Povos de África: Os Kara do Rio Omo

Imagem: © DR
Francisco Lopes-Santos
Francisco Lopes-Santos

Ex-atleta olímpico, tem um Doutoramento em Antropologia da Arte e dois Mestrados um em Treino de Alto Rendimento e outro em Belas Artes. Escritor prolifero, já publicou vários livros de Poesia e de Ficção, além de vários ensaios e artigos científicos.

Francisco Lopes-Santoshttp://xesko.webs.com
Ex-atleta olímpico, tem um Doutoramento em Antropologia da Arte e dois Mestrados um em Treino de Alto Rendimento e outro em Belas Artes. Escritor prolifero, já publicou vários livros de Poesia e de Ficção, além de vários ensaios e artigos científicos.
Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com