12.5 C
Londres
Domingo, Maio 26, 2024

Lula: Reinventar os Laços do Brasil com África

A visita de Lula da Silva a vários países africanos pode ser o primeiro passo para reaproximar o Brasil a África.

Lula: Reinventar os Laços do Brasil com África.

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, estabeleceu uma agenda extensa de visitas diplomáticas aos países africanos. A missão deste percurso é fortalecer os laços entre o Brasil e o continente africano que têm estado marginalizados.

O destino desta jornada incluirá oito países africanos, nomeadamente, Angola, Moçambique e África do Sul. Estes países, entre outros, partilham uma longa história e afinidades culturais com o Brasil, laços estes que Lula da Silva visa reavivar.

Não foi apenas a falta de voos directos que afastou o Brasil de África. A ausência estratégica do último governo fez com que a região ampliasse laços com a China, Espanha, Índia, Rússia e Turquia. Lula da Silva, pretende reverter essa estratégia do passado.

 

Política Externa

A política externa do Brasil em relação África foi caracterizada, em grande medida, pela promoção da cooperação Sul-Sul durante os mandatos de Lula da Silva (2003-2010). Contudo, com esta nova investida diplomática, Lula não tem a intenção de replicar somente as estratégias do passado.

O objetivo é actualizá-las e adaptá-las ao contexto actual, entendendo que as dinâmicas geopolíticas e os interesses comuns sofreram alterações significativas ao longo da última década.

Lula da Silva reconhece que o mundo mudou desde a sua última presidência e que os desafios de África contemporânea são diferentes dos de antigamente. O desenvolvimento económico, a segurança alimentar, a mudança climática, a saúde pública e a tecnologia são áreas de interesse particular para o continente.

A abordagem proposta por Lula da Silva para a nova política externa do Brasil com África concentra-se nestas necessidades, apresentando soluções conjuntas para problemas mútuos.

Nos próximos meses, Lula da Silva tem planos de visitar pessoalmente Angola, África do Sul, Moçambique, Senegal, Gana, Etiópia, Nigéria e São Tomé e Príncipe, para conversar com os seus líderes e discutir as formas como o Brasil e África podem beneficiar-se mutuamente.

Acredita-se que estas visitas, se bem-sucedidas, possam abrir novas portas para a cooperação bilateral e multilateral, reforçando assim a posição do Brasil como um parceiro chave para o desenvolvimento africano.

Neste novo capítulo das relações Brasil-África, Lula da Silva está empenhado em deixar um legado duradouro, construído sobre o respeito mútuo, a cooperação e a busca comum por progresso e prosperidade. A sua iniciativa pode ser uma importante reviravolta nas relações Brasil-África, trazendo novas oportunidades para ambos os lados.

 

Estratégia Renovada

Imagem © Ricardo Stuckert (20230612) Lula, Reinventar os Laços do Brasil com África
O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebe no Palácio do Planalto o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva. Foto: Ricardo Stuckert

Lula da Silva, tem uma perspectiva muito diferente para as relações Brasil-África comparada à do seu antecessor, Jair Bolsonaro. Alegadamente, a política externa de Bolsonaro colocou as relações com África em segundo plano, uma postura que Lula pretende alterar.

No passado, o Brasil procurou apoiar o desenvolvimento africano através de doações de medicamentos, transferências de tecnologia e outros tipos de ajuda. Embora tais esforços tenham sido apreciados, Lula da Silva compreende a necessidade de uma abordagem mais abrangente. A sua estratégia visa promover não só a assistência social, mas também incentivar os laços económicos entre o Brasil e África.

A estratégia renovada de Lula da Silva inclui uma forte aposta económica, com a intenção de promover uma relação mutuamente benéfica. O presidente acredita que há um vasto potencial de crescimento económico em África que poderia beneficiar tanto o continente africano como o Brasil.

Através do incentivo ao comércio bilateral e aos investimentos, Lula da Silva espera não só fortalecer a economia do Brasil, mas também ajudar a impulsionar o desenvolvimento económico em África.

Esta nova fase das relações Brasil-África não será apenas sobre a oferta de ajuda, mas também sobre a construção de uma parceria de cooperação. A iniciativa de Lula da Silva sugere um compromisso em trabalhar com os países africanos para alcançar objectivos comuns, criando oportunidades para ambos os lados.

Essa estratégia renovada para a relação Brasil-África assenta numa abordagem equilibrada que combina assistência social e interesse económico. Com um maior destaque na cooperação económica e numa abordagem de parceria, esta estratégia poderá levar a uma nova fase de maior intercambio e benefícios mútuos entre o Brasil e África.

 

Visitas Futuras

O plano de Lula da Silva para a reaproximação com África é ambicioso e vasto. Prevê-se que as visitas oficiais se iniciem no segundo semestre, marcando um importante passo na renovação do diálogo Brasil-África. O programa inclui uma série de visitas a vários países africanos, sublinhando a importância que Lula da Silva atribui a esta região.

Os primeiros destinos previstos no programa de Lula da Silva incluem Angola, África do Sul e Moçambique. Nestes países, espera aprofundar os laços económicos e políticos, assim como entender melhor as necessidades e expectativas destes parceiros africanos.

O programa de visitas também inclui o Senegal, Gana, Etiópia e Nigéria. A inclusão destes países sublinha a intenção de Lula da Silva de abranger diferentes partes do continente africano, reforçando o compromisso do Brasil com uma abordagem pan-africana nas suas relações exteriores.

Além disso, estão também previstas visitas a São Tomé e Príncipe, bem como a reabertura da embaixada do Brasil na Serra Leoa e a instalação de uma representação do Brasil no Ruanda. Estas iniciativas indicam o interesse do Brasil em estreitar os laços não só com os maiores e mais influentes países africanos, mas também com as nações mais pequenas e potencialmente marginalizadas.

Lula da Silva tem uma agenda cheia para os próximos meses, com visitas a vários países africanos. Estas viagens sublinham a seriedade do Brasil em renovar e aprofundar os seus laços com África, estabelecendo novos precedentes para as futuras relações diplomáticas entre o Brasil e o continente africano.

 

Parcerias Económicas

A nova política externa do Brasil para África é muito mais do que uma simples tentativa de revitalizar laços. O presidente Lula da Silva, com a sua visão progressista, vê um potencial significativo na parceria com África, principalmente em termos económicos. As informações do governo brasileiro sugerem que o continente africano tem um imenso potencial para crescimento e desenvolvimento económico.

Com uma população jovem, recursos naturais abundantes e mercados emergentes, África é uma região com potencial inexplorado que pode se tornar um motor de crescimento económico.

Lula da Silva entende que uma parceria efectiva com África pode trazer benefícios mútuos, com o Brasil a ajudar África a atingir o seu potencial económico e África a fornecer ao Brasil acesso a novos mercados e oportunidades de investimento.

Lula da Silva defende uma maior representação africana no G20, um grupo de nações que tem um papel fundamental na governança económica global. Na sua opinião, a União Africana, que representa todos os 55 países africanos, deveria ter um lugar permanente no G20. Isto refletiria a crescente influência económica de África e proporcionaria um meio eficaz de abordar os desafios económicos globais.

À medida que o Brasil se esforça para reforçar as suas relações com África, Lula da Silva vê um papel central para as parcerias económicas. Através do reforço dos laços económicos e da advocacia de uma maior representação africana no G20, o presidente está a contribuir para um futuro mais equilibrado e inclusivo na governança económica global.

Este foco renovado em África sinaliza a intenção do Brasil de abordar a diplomacia global com uma nova perspetiva, valorizando as relações Sul-Sul e reconhecendo a importância estratégica de África na cena mundial.

 

Dados Económicos

Imagem © DR (20230612) Lula, Reinventar os Laços do Brasil com ÁfricaApesar dos esforços passados para aumentar o comércio entre o Brasil e África, os dados indicam que esta relação comercial tem permanecido praticamente estática. Em 2022, o comércio totalizou US$ 21,3 bilhões, uma cifra muito similar à registada em 2010.

Este facto sugere que apesar de haver um reconhecimento da importância do mercado africano, tem-se verificado um défice de acções concretas para intensificar a troca comercial.

A natureza das relações comerciais entre o Brasil e os países africanos varia consideravelmente. Enquanto existe um comércio robusto com alguns países, como Angola e África do Sul, a relação comercial com outros, como São Tomé e Príncipe, é praticamente inexistente.

Esta falta de uniformidade nos laços comerciais demonstra a necessidade de uma estratégia mais coesa e ampla que possa abranger todos os países africanos.

A estagnação do comércio entre o Brasil e África não só representa uma oportunidade económica perdida, mas também dificulta a capacidade do Brasil de exercer influência em uma região em rápido crescimento. Sem uma presença comercial significativa, o Brasil pode estar a perder a oportunidade de participar na história de crescimento económico de África.

Os dados actuais apontam para a necessidade de uma nova estratégia comercial entre o Brasil e África. Esta nova abordagem deve focar-se em dinamizar o comércio, aumentar a presença comercial do Brasil em toda África e garantir que ambos os lados beneficiem de relações comerciais justas e equitativas.

A visita de Lula da Silva a vários países africanos pode ser o primeiro passo para a materialização desta nova estratégia.

 

Conclusão

A reaproximação de Lula da Silva a África poderá trazer benefícios mútuos, não só reforçando a presença do Brasil na região, mas também proporcionando oportunidades para África. Este novo impulso na política externa brasileira poderá ajudar a definir o tom das relações Brasil-África para o futuro próximo.

 

O que achas desta aproximação de Lula da Silva a África? Será que o Brasil, finalmente, vai ser o parceiro económico que África merece? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Veja Também:

Angola e Brasil reforçam cooperação no petróleo

Brasil: O país mais africano do Mundo, fora de África

Dos transgénicos à importância do Brasil para África

Imagem: © Marcelo Camargo
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com