13 C
Londres
Domingo, Maio 26, 2024

planetGOLD, quer acabar com a poluição do ouro

A primeira fase contou com projetos para melhorar o acesso ao financiamento em nove países, incluindo o Quénia, as Filipinas e a Indonésia.

planetGOLD, quer acabar com a poluição do ouro.

O programa planetGOLD, liderado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), procura acabar com o percurso tóxico da prospecção de ouro em pequena escala. 100 milhões de pessoas estão expostas ao mercúrio, a proposta é reduzir o uso para menos de 512 toneladas.

 

O Pnuma

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, alerta para o facto de até 20 milhões de mineiros, em mais de 80 países, trabalham em atividades de  prospecção de ouro artesanal em pequena escala. Entre eles, pelos menos 4 milhões de mulheres e crianças.

Estas operações, muitas vezes não regulamentadas e inseguras, são responsáveis por 37% da poluição global por mercúrio, mais do que qualquer outro setor.

 

A trilha tóxica da prospecção de ouro

Os representantes atuam com governos, setor privado e comunidades de prospectores para eliminar o mercúrio da prospecção artesanal e promover ambientes de trabalho mais seguros.

O Financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente, opera sob a Convenção de Minamata sobre o Mercúrio, um acordo global projetado para eliminar gradualmente o uso deste metal.

O gerente do programa, Ludovic Bernaudat, afirma que mais de 100 milhões de pessoas dependem da prospecção artesanal de ouro para a sua subsistência.

Assim, ele avalia ser fundamental a parceria com os governos para levar aos trabalhadores conhecimento e informações para se eliminar gradualmente o uso de mercúrio.

 

O mercúrio

O mercúrio é um produto químico tóxico que pode causar danos cerebrais irreversíveis e prejudicar a saúde do ecossistema. Não há nível de exposição seguro conhecido para mercúrio elementar em humanos, e os efeitos podem ocorrer mesmo em taxas muito baixas.

A prospeção artesanal responde por 20% da oferta global de ouro e gera aproximadamente US$ 30 bilhões anualmente. No entanto, segundo o Pnuma, as operações artesanais são informais e estão fora do alcance das estruturas regulatórias nacionais existentes.

Isso pode ocorrer porque os governos não têm acesso a informações confiáveis sobre o setor e são incapazes de fornecer apoio administrativo, técnico e financeiro ou favorecem operações de prospecção em grande escala.

Segundo a agência ambiental da ONU, muitos governos estão a tomar medidas para implementar padrões mais seguros sob a Convenção de Minamata sobre Mercúrio, que visa regulamentar de forma abrangente o metal ao longo do seu ciclo de vida, desde a produção até o uso e descarte.

Mas a fiscalização nem sempre é consistente, especialmente em áreas rurais e países em desenvolvimento, dando origem a operações artesanais inseguras.

 

Os resultados da prospecção artesanal

Segundo o Pnuma, a prospecção artesanal e de pequena escala emite mais de 2 mil toneladas de mercúrio por ano. Isso inclui emissões para o ar de amálgamas de aquecimento, bem como perdas diretas de mercúrio para terra e água.

O produto, usado na prospecção há mais de 3 mil anos, não se degrada no meio ambiente. Uma pesquisa mostra que as copas das florestas perto de locais de prospecção de ouro em pequena escala podem interceptar e acumular grandes volumes de poluição atmosférica de mercúrio.

Isso significa que o mercúrio pode acumular-se e ser transmitido ao longo da cadeia alimentar causando danos ao sistema nervoso, digestivo e imunológico de animais e humanos.

As estimativas sugerem que até 100 milhões de pessoas estão de alguma forma expostas ao mercúrio da prospecção de ouro em pequena escala.

 

Um novo padrão “ouro”

Para combater o problema, a planetGOLD facilita a partilha de materiais técnicos e de orientação entre minas de ouro artesanais e governos. Também defende alternativas tecnológicas para reduzir e eliminar a dependência do mercúrio.

A primeira fase contou com projetos para melhorar o acesso ao financiamento em nove países, incluindo o Quénia, as Filipinas e a Indonésia.

 

O que achas desta situação? Os riscos da prospecção do ouro compensam os beneficios? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.
Imagem: © 2023 UN News
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com