4.9 C
Londres
Segunda-feira, Abril 22, 2024

Angola: Impulsionar As Mulheres Empresárias

“O Executivo, liderado pelo Presidente da República, tem desde sempre colocado a capacitação e o empreendedorismo juvenil dentre as principais prioridades da acção governativa” – Esperança da Costa Vice-Presidente da República,

Angola: Impulsionar As Mulheres Empresárias


Angola está a testemunhar uma mudança dinâmica no seu panorama empresarial, com um foco especial na ascensão das mulheres empreendedoras. Sob a liderança do Executivo, estão a ser implementadas medidas ousadas para catalisar o crescimento e a estabilidade económica, enquanto se amplia o apoio às mulheres empresárias.

A garantia foi dada pela Vice-Presidente da República, Esperança da Costa, durante o seu discurso na abertura oficial da 1ª Conferência Anual de Jovens Mulheres Empresárias de Angola e lançou luz sobre novas iniciativas transformadoras, prometendo um futuro empolgante para o empreendedorismo feminino no país.

No seu discurso, destacou os esforços concertados do governo para criar um ambiente propício aos negócios, fortalecendo o sistema financeiro e facilitando o acesso ao financiamento para empreendedores, especialmente mulheres. Estas medidas procuram impulsionam a economia e promover a igualdade de género e o potencializar as mulheres, abrindo portas para um futuro mais inclusivo e próspero.

 

O Apoio Financeiro


O Governo angolano está a intensificar as medidas que visam acelerar a melhoria do ambiente de negócios, a garantia da estabilidade macroeconómica bem como potenciar continuamente o sistema financeiro, com o propósito de aumentar o investimento directo na economia.

Segundo Esperança da Costa, existem instrumentos e programas de financiamentos que visam dar suporte às iniciativas dos empresários, destacando o Fundo de Garantias de Crédito (FGC), criado com o objectivo de suprir a falta de garantias que as micro, pequenas e médias empresas (MPME’s) apresentam no pedido de financiamento.

Nesta perspectiva, Esperança da Costa destacou a assinatura de um memorando assinado com o INAPEM para assegurar serviços de apoio aos jovens empreendedores, ao qual se junta a Linha de Apoio aos Projectos Sustentáveis (LAPS).

Essa cooperação permitiu a criação de seis incentivos para os micro e pequenos negócios com uma cobertura de garantia de 80 por cento para projectos de até 10 milhões de kwanzas e para projectos de mulheres, nos quais 60 por cento da força de trabalho seja feminina, independentemente do valor de financiamento.

O Fundo de Garantias de Crédito (FGC) tem disponível, para 2024, uma linha de garantias com considerável montante, tendo assinado acordos com seis bancos para a sua operacionalização.

A Vice-Presidente da República falou igualmente dos projectos de Fomento do Empreendedorismo Digital, onde o INAPEM impulsionou o surgimento da primeira Associação Angolana de Startups e Empreendedores Digitais, cuja elaboração do projecto de lei para regular a actividade das startups em Angola está em curso.

 

Fomentar a Actividade Produtiva


A agricultura está no centro dos esforços para impulsionar a produção interna e reduzir a dependência das importações de alimentos.

No âmbito do fomento da actividade produtiva, está em curso a implementação de sete projectos AgriPREI que visam contribuir para os objectivos nacionais do Plano Nacional de Desenvolvimento 2023-2027, especificamente na sua Política de Apoio à Produção, através do Programa de Fomento da Indústria Transformadora, promovendo a produção local e estimulando o consumo de produtos angolanos.

“O grande desafio actual é substituir a importação de alimentos pela produção interna e pelo estímulo ao consumo de produtos locais”.

Afirmou a Vice-Presidente da República, lembrando ainda que no quadro das medidas e instrumentos de financiamento ao sector da economia real, nos últimos seis anos, foram financiados mais de 4 mil projectos, com um valor correspondente a cerca de um bilião e duzentos mil milhões de kwanzas,

Todos ao abrigo dos instrumentos financeiros operacionalizados pelo PRODESI, nomeadamente o PAC, FADA, Linha do Deutsche Bank e o Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Comercial (PDAC).

 

Incentivos


Durante a 1.ª Conferência Anual de Jovens Mulheres Empresárias de Angola, foi ainda assinado um acordo entre o INEFOP e a ANJE para estágios remunerados de até cinco mil vagas, um acto, que segundo a Vice-Presidente da República, evidencia os programas do Executivo em fortalecer as iniciativas dos jovens empresários.

“É também fundamental concentrar-se e fortalecer a componente da formação e capacitação dos jovens”.

“Neste sentido, o Executivo liderado pelo Presidente da República, tem desde sempre colocado a capacitação e o empreendedorismo juvenil dentre as principais prioridades da acção governativa”.

“Apostando na sua formação profissional, na sua inserção no mercado de emprego e no incentivo ao empreendedorismo”, realçou.

Entre outras iniciativas do Executivo, Esperança da Costa destacou o Fundo Nacional para o Emprego, parte da Agenda Nacional de Emprego que visa financiar e co-financiar projectos de organizações públicas e privadas, cujas actividades contribuam directamente para o aumento da geração de emprego e desenvolvimento de competências em Angola.

Iniciativas que promovem o desenvolvimento sustentável da mulher e da sua independência em atividades económicas como os programas de apoio às jovens mulheres em situação de risco, através da concessão de bolsas de estudo e formação profissional, fForam igualmente destacados pela Vice-Presidente da República, Esperança da Costa.

 

Conclusão


A ascensão das mulheres empresárias em Angola é mais do que uma tendência; é um catalisador poderoso para o crescimento económico e a inclusão social. Sob a liderança visionária do governo, estão a ser tomadas medidas concretas para impulsionar o empreendedorismo feminino, criando um ambiente favorável aos negócios e a promover a igualdade de género.

À medida que celebramos os sucessos alcançados até o momento, olhamos para o futuro com optimismo, confiantes de que o papel vital da liderança feminina na diversificação económica e social do país continuará a prosperar.

 

Concordas com esta ajuda excepcional do Governo de Angola? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 


Imagem: © 2024 ANJE
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!