A Mãe Mais Velha De África Tem 70 Anos.

A Mãe Mais Velha De África Tem 70 Anos. Este feito extraordinário, acabou de ser anunciado há minutos (17:00 – 30:11:2023). No Uganda, Safinah Namukwaya, uma mulher de 70 anos, deu à luz gémeos após um tratamento de fertilização in vitro (FIV).

O Women’s Hospital International and Fertility Center (WHI&FC) celebrou este evento não apenas como um triunfo médico, mas também como um testemunho notável da capacidade humana.

O Parto por ocorreu por cesariana no centro de fertilidade WHI&FC, situado na capital do Uganda, na capital, Kampala. Sra. Namukwaya, tornou-se uma das mulheres mais velhas do mundo à dar à luz, tendo sido felicitada pelo hospital que referiram à media local, tratar-se de um “milagre”.

 

A Mãe Mais Velha de África

O Women’s Hospital International and Fertility Center (WHI&FC) divulgou a notícia emocionante na sua página do Facebook, descrevendo o evento como “alcançando o extraordinário”. O parto ocorreu na quarta-feira, pouco depois do meio-dia, e tanto a mãe quanto os bebés estão de boa saúde, conforme relatado pelo hospital.

Namukwaya, agora reconhecida como a mãe mais velha de África, deu à luz um menino e uma menina por cesariana, surpreendendo a todos no centro de fertilidade em Kampala. A Sra. Namukwaya partilhou com a media local que considera este nascimento um verdadeiro “milagre“.

Namukwaya, a mãe babada, enfrentou desafios significativos durante a gravidez, incluindo o abandono pelo parceiro ao descobrir que ela esperava gémeos. Numa entrevista ao Daily Monitor do Uganda, ela partilhou a dificuldade emocional desta sua jornada, revelando que o seu parceiro nunca a visitou desde que foi internada.

“Os homens não gostam que lhe digam que está grávida de mais de um filho. Desde que fui aqui internada, o meu homem nunca apareceu”, disse ela.

Esta não é a primeira vez que Namukwaya se torna mãe; em 2020, deu à luz uma menina. Motivada pela vontade de ter filhos, ela partilhou que se sentia ridicularizada por não ter uma família própria para cuidar dela na velhice.

Embora não esteja claro se Safinah Namukwaya, para voltara a ser mãe, usou um óvulo doado ou um seu próprio, previamente congelado quando era mais jovem, a fertilização in vitro (FIV) foi crucial para a realização deste sonho. Com a menopausa normalmente a ocorrer entre os 45 e os 55 anos, avanços na medicina, como a FIV, têm possibilitado que mulheres deem à luz, mesmo em idades mais avançadas.

 

Conclusão

O notável caso de Safinah Namukwaya, destaca não apenas a evolução da medicina reprodutiva, mas também a determinação extraordinária que impulsionou esta mãe de 70 anos a alcançar o que muitos consideram impossível.

A sua história demonstra a importância da fertilização in vitro como uma opção viável para mulheres que desejam realizar o sonho da maternidade em idades mais avançadas e poderem ser mães novamente. O Women’s Hospital International and Fertility Center (WHI&FC) celebra não apenas um sucesso médico, mas a notável capacidade do espírito humano diante de desafios únicos e inovadores.

 

Ser mãe aos 70 anos é notável. Conheces alguma mulher que gostasse de fazer o mesmo? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Imagem: © 2023 WHI&FC
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!