9.4 C
Londres
Domingo, Abril 21, 2024

BAD Contra Empréstimos Pagos Em Recursos Naturais

"São mesmo maus, antes de mais porque não se consegue dar um preço justo aos ativos" - Akinwumi Adesina.

BAD Contra Empréstimos Pagos Em Recursos Naturais


O presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), Akinwumi Adesina, defendeu hoje o fim dos empréstimos que são pagos com recursos naturais, nomeadamente à China, considerando que isso ajudou a criar uma crise financeira no continente.

“São mesmo maus, antes de mais porque não se consegue dar um preço justo aos ativos”.

Disse o presidente do BAD numa entrevista à agência norte-americana de notícias Associated Press em Lagos, na Nigéria, acrescentando:

“Se um país tem minerais ou petróleo no solo, como é que se define um preço para um contrato de longo prazo, isso é um grande desafio”.

Ligar as receitas futuras das exportações de recursos naturais a empréstimos é muitas vezes um mecanismo utilizado pelos países para receberem financiamento antecipado que permita pagar os projetos de infraestruturas, e para os credores é uma maneira de reduzirem o risco de não serem pagos.

Angola, durante anos, utilizou este mecanismo nos empréstimos dados pela China, aos quais o petróleo era oferecido como garantia e, muitas vezes, era o próprio meio de pagamento.

A transição energética fomentou a utilização de veículos elétricos e causou um pico na procura de minerais, o que fez aumentar a utilização deste tipo de empréstimos em países como a República Democrática do Congo, rica em cobalto, por parte da China, que assim consegue fortalecer a sua posição na cadeia global de fornecimento de veículos elétricos e outros produtos tecnológicos.

“Há varias razões para eu dizer que África devia acabar com estes empréstimos baseados em recursos naturais”.

Vincou Adesina, salientando a Aliança para as Infraestruturas Verdes, uma iniciativa do BAD com o objetivo de “ajudar os países a renegociar estes empréstimos assimétricos, opacos e erradamente avaliados“.

Pelo menos 11 países africanos usaram este tipo de empréstimos feito por empresas e bancos como Glencore, Trafigura e o Banco Standard Chartered, sobre os quais os bancos multilaterais de desenvolvimento têm sido bastante críticos.

A AP pediu comentários a estas três entidades, e só a Trafigura respondeu:

“Estas firmas estão a permitir uma produção que de outra forma não seria possível, o que significa que estão a permitir crescimento económico, criação de empregos e geração de receita fiscal nos países em causa”.

Na entrevista, o Presidente do BAD, citou o caso do Chade, que caiu numa crise financeira grave devido a um empréstimo da Glencore, que acabou por consumir quase todas as receitas do petróleo, em vez de serem canalizadas para o financiamento de projetos que promovam o desenvolvimento.

Imagem: © 2024 Francisco Lopes-Santos
Lusa - Agência de Notícias de Portugal
Agencia Lusa

É a maior agência noticiosa de língua portuguesa, faz parte da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa e tem mais de 280 jornalistas espalhados por todo o mundo. Para além das principais cidades de Portugal, a Lusa tem delegações ou correspondentes permanentes na Bélgica, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Rússia, Estónia, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Índia, São Tomé e Príncipe, África do Sul, Argélia, Timor-Leste, Macau, China, Brasil, Venezuela, Estados Unidos, Canadá e Austrália. Fornece um serviço noticioso a inúmeros jornais, rádios e canais de televisão portugueses, aos meios de comunicação social das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e a agências noticiosas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Subscrevem também os serviços da Lusa diversas instituições públicas e privadas.

Agencia Lusahttps://www.lusa.pt/
É a maior agência noticiosa de língua portuguesa, faz parte da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa e tem mais de 280 jornalistas espalhados por todo o mundo. Para além das principais cidades de Portugal, a Lusa tem delegações ou correspondentes permanentes na Bélgica, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Rússia, Estónia, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Índia, São Tomé e Príncipe, África do Sul, Argélia, Timor-Leste, Macau, China, Brasil, Venezuela, Estados Unidos, Canadá e Austrália. Fornece um serviço noticioso a inúmeros jornais, rádios e canais de televisão portugueses, aos meios de comunicação social das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e a agências noticiosas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Subscrevem também os serviços da Lusa diversas instituições públicas e privadas.
Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!