19.6 C
Londres
Domingo, Maio 26, 2024

Líderes Africanos em Missão de Paz na Ucrânia

Este esforço pela paz é liderado pelos Chefes de Estado da África do Sul, União das Comores, República do Congo, Uganda, Senegal, Zâmbia e Egito.

Líderes Africanos em Missão de Paz na Ucrânia.

Foi anunciada hoje uma missão de paz liderada por sete chefes de Estado africanos com o objetivo de negociar a paz na Ucrânia. A delegação visita na próxima semana Kiev e Moscovo para apresentar um plano de resolução aos respectivos líderes dos dois países.

 

Uma Missão Africana para a Paz Mundial

A missão, organizada pela Fundação Brazzaville, foi marcada para o dia 16 de Junho em Kiev, onde se reunirão com o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e, posteriormente, a 17 de Junho, em São Petersburgo, com o Presidente da Federação Russa, Vladimir Putin.

A Fundação Brazzaville, uma Organização Não Governamental (ONG) criada em 2014 em Londres, tem facilitado importantes encontros diplomáticos para preparar esta missão de paz africana, apelidada de “Caminho para a Paz” para o conflito Ucrânia-Rússia.

Este esforço pela paz é liderado pelos Chefes de Estado da África do Sul, Cyril Ramaphosa; União das Comores, Azali Assoumani; República do Congo, Denis Sassou Nguesso; Uganda, Yoweri Museveni; Senegal, Macky Sall; Zâmbia, Hakainde Hichilema, e Egito, Abdel Fattah al-Sisi.

 

A Cimeira Rússia-África

Na quinta-feira, o Presidente Ramaphosa teve uma conversa telefónica com o Presidente Putin acerca desta missão de paz, bem como da próxima Cimeira Rússia-África, a ser realizada no final de Julho em São Petersburgo.

O papel da África do Sul, e particularmente do Presidente Ramaphosa, nas negociações de paz tem sido crucial. Este é um esforço significativo para trazer uma perspectiva africana para a resolução de conflitos internacionais. A contribuição da África do Sul demonstra a importância da colaboração e do diálogo internacional para alcançar a paz global.

“Por muito que um conflito se alastre em outra parte do mundo, isso não significa que devamos ser dissuadidos de firmar acordos que nos aproximem e que possamos cooperar de forma muito mais efetiva”, referiu o Presidente Cyril Ramaphosa.

Os líderes africanos têm-se reunido para preparar estes encontros e debater formas de pôr fim ao conflito na Ucrânia. Este esforço de paz é apreciado e saudado por líderes globais, incluindo o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa que se encontra presentemente na África do Sul pelas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

 

Cooperação Bilateral África do Sul e Portugal

Os Presidentes Marcelo Rebelo de Sousa e Cyril Ramaphosa anunciaram um acordo de cooperação bilateral na área de defesa durante uma conferência de imprensa em Pretória. Este é o primeiro acordo deste tipo que a África do Sul democrática pós-“Apartheid” realiza com um país membro da NATO.

Para além das negociações de paz, os dois líderes aproveitaram a oportunidade para discutir questões de importância regional e internacional, incluindo o conflito persistente entre a Rússia e a Ucrânia.

“Eu queria saudar o papel da África do Sul e do Presidente Ramaphosa na missão africana de paz que vai seguir quase de imediato para o teatro de guerra”.

“Dando a visão africana, para aquilo que no fundo todos desejamos: que haja uma paz. e uma segurança, que é europeia, mas também é global”, declarou o chefe de Estado português.

Cyril Ramaphosa afirmou que a celebração deste acordo de cooperação é um claro sinal de que a África do Sul e Portugal são nações que buscam colaborar a diferentes níveis. A colaboração estende-se para além do comércio, política e investimento, e abrange áreas mais complexas, incluindo a defesa.

“Este acordo é realmente um sinal para ambos os países e para os nossos povos de que a África do Sul e Portugal são dois países que cooperam e querem cooperar a vários níveis diferentes”.

“Não só no comércio e na política e no investimento, mas em várias outras áreas mais complicadas, e deveríamos estar a comemorar por estes dois países estarem a cooperar ao nível de Defesa”, salientou o chefe de Estado sul-africano.

O Presidente Ramaphosa destacou que, independentemente da existência de conflitos noutras partes do mundo, isso não deve dissuadir o estabelecimento de acordos que promovam a aproximação e cooperação efetiva entre as nações. Este princípio baseia-se na necessidade de criar um mundo mais pacífico e seguro, um objetivo que transcende as fronteiras e se torna um assunto de interesse global.

 

Conclusão

Estes líderes africanos demonstraram uma dedicação notável para resolver o conflito entre a Ucrânia e a Rússia. Esta missão de paz representa um marco importante na história das relações internacionais, mostrando como a colaboração e o diálogo podem ser ferramentas poderosas na resolução de conflitos.

O sucesso desta missão dependerá do empenho e da capacidade de diálogo de todos os envolvidos, mas as ações já tomadas pelos líderes africanos são um passo significativo para um futuro mais pacífico

 

O que achas desta missão de paz? Acreditas que áfrica seja capaz de fazer o que mais ninguém conseguiu? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.
Imagem: © 2023 DR 
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com