JMJ Vai Para Seul, África É Esquecida, Outra Vez.

A Jornada Mundial da Juventude 2023 (JMJ 2023), que se realizou em Lisboa, Portugal, terminou e, como de costume, após a missa do envio, foi anunciado o local e data do próximo evento. Para Surpresa de todos, ou nem por isso, mais uma vez, África, o único continente que até agora não albergou nenhuma JMJ, foi esquecida e ficou de fora, ficando marcada a JMJ 2027 para Seul na Coreia do Sul.

A JMJ 2023, marcou o encontro de mais de um milhão e meio de peregrinos, vindos de diversos continentes, para participar em celebrações religiosas, missas, palestras e momentos de partilha. O ponto alto do evento foi a presença e as mensagens do Papa Francisco, que enfatizou a importância da abertura, solidariedade e serviço à sociedade.

Durante uma semana repleta de atividades e emoções, os jovens peregrinos tiveram a oportunidade de ouvir as palavras do Papa Francisco que destacou a relevância da juventude na construção de um mundo melhor e exortou-os a enfrentar os desafios da vida sem medo.

O Papa também abordou questões cruciais, como os abusos sexuais na Igreja Católica, apelando à necessidade de enfrentar estas questões de frente e promover uma cultura de transparência e justiça.

Além disso, as questões de inclusão e tolerância também surgiram, destacando a necessidade de respeitar a diversidade e as diferentes orientações de todas as pessoas, especialmente em relação à comunidade LGBTQIA+.

Foi esta frase do Papa Francisco, sobre a inclusão de todos na Igreja que marcou o evento e que já está a gerar polémica.

“Na Igreja há lugar para todos, para todos. Na Igreja ninguém é excedentário, ninguém é excedentário, há lugar para todos. Tal como nós somos. Todos nós”.

Mas apesar das mensagens inspiradoras e do impacto positivo do encontro, a JMJ 2023 não ficou livre de polémicas. A discussão sobre os custos do evento, que totalizaram cerca de 161 milhões de euros, despertou preocupações em meio à situação económica de Portugal.

 

O Que é a JMJ

Imagem © 1991 DR (20230806) JMJ Vai Para Seul, África É Esquecida, Outra Veza JMJ é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa e, simultaneamente, uma peregrinação, uma festa da juventude, uma expressão da Igreja universal e um momento forte de evangelização do mundo juvenil.

Inicialmente, acontecia todos os anos a nível diocesano, por altura do Domingo de Ramos e a partir de 2021 no Domingo de Cristo Rei. Recentemente, passou a realizar-se a cada dois, três ou quatro anos como um encontro internacional, numa cidade escolhida pelo Papa, sempre com a sua presença.

Esta iniciativa foi criada pelo papa João Paulo II (1920-2005) em 1985 (Ano Internacional da Juventude) e a primeira JMJ ocorreu no ano seguinte em Roma, Itália, numa celebração diocesana.

Já o primeiro encontro internacional realizou-se em Buenos Aires, Argentina, em 1987, a terra natal do Papa Francisco.

Na capital argentina, João Paulo II pediu aos jovens para comprometerem a sua energia juvenil “na construção da civilização do amor”.

Em 1989, Espanha acolheu pela primeira vez a JMJ, em Santiago de Compostela, onde os peregrinos rezaram pela paz. Nesse ano, o Muro de Berlim foi derrubado e, dois anos depois, uma Polónia livre (terra natal de João Paulo II) recebeu o encontro em Czestochowa.

Seguiu-se Denver, nos Estados Unidos da América, em 1993 que, pela primeira vez, incluiu a via-sacra pelas ruas da cidade, mas foi a capital das Filipinas, dois anos mais tarde que registou a maior afluência de sempre numa JMJ.

Em 1997, a JMJ regressou à Europa, a Paris, onde mais de meio milhão de jovens encheram as ruas da capital francesa de alegria e fraternidade, numa edição que ficou marcada pela introdução dos Dias nas Dioceses (encontro que antecede a semana da JMJ) e do Festival da Juventude (programa cultural e artístico).

Ainda no continente europeu, 2000 foi o ano da JMJ em Roma, para de seguida ser em Toronto, Canadá (2002), a última a que João Paulo II presidiu.

O papa anunciou então que a JMJ seguinte, em 2005, seria em Colónia, na Alemanha, mas foi o seu sucessor, o alemão Bento XVI (1927-2022), a presidir às celebrações.

Sydney, na Austrália, em 2008, é considerado o primeiro encontro da JMJ totalmente moderno, com a presença do evento nas redes sociais.

Em 2011, a JMJ retornou a Espanha, desta vez à capital, Madrid, e dois anos depois, já no pontificado de Francisco, o encontro mundial de jovens católicos teve como palco, pela primeira vez, um país de língua portuguesa: o Brasil.

O Papa Francisco presidiu ainda às jornadas de Cracóvia, na Polónia, em 2016, da Cidade do Panamá, em 2019 que contou com a presença da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima e agora, à de Lisboa que contemplou uma deslocação a Fátima.

 

A JMJ 2023

Imagem © 2023 MIiguel A. Lopes (20230806) JMJ Vai Para Seul, África É Esquecida, Outra VezA JMJ é um evento global que reúne jovens católicos de diferentes partes do mundo para celebrar a fé, compartilhar experiências e fortalecer a espiritualidade. A edição de 2023 chegou ao seu fim, trazendo consigo uma série de reflexões sobre os desafios e oportunidades que a juventude enfrenta nos tempos atuais.

Uma dessas reflexões foi a importância do comprometimento com a mudança e a tolerância. A mensagem do Papa Francisco sobre não confundir “egoísmo disfarçado de amor” ecoou nos corações dos jovens, lembrando-os de que a verdadeira solidariedade e serviço são fundamentais para construir um mundo melhor.

Uma característica marcante da JMJ é o foco no serviço e na caridade. Os jovens são incentivados a envolverem-se em iniciativas que beneficiem os menos privilegiados, promovendo assim a transformação social. Projetos comunitários, ações de voluntariado e outras formas de serviço são maneiras tangíveis pelas quais os jovens podem continuar a viver o espírito da JMJ nas suas vidas diárias.

Além de reunir jovens católicos, a JMJ também é um espaço para o diálogo inter-religioso e intercultural. Os encontros entre representantes de diferentes crenças e culturas promovem a compreensão mútua e o respeito, contribuindo para um mundo mais harmonioso e cooperativo.

Outro ponto de discussão que emergiu durante a Jornada Mundial da Juventude foi a importância do comprometimento com a mudança e a tolerância. A mensagem do Papa Francisco sobre não confundir “egoísmo disfarçado de amor” ecoou nos corações dos jovens, lembrando-os de que a verdadeira solidariedade e serviço são fundamentais para construir um mundo melhor.

 

A Próxima JMJ

Imagem © 2023 MIiguel A. Lopes (20230806) JMJ Vai Para Seul, África É Esquecida, Outra VezNa missa do envio que encerrou a JMJ em Portugal, o Papa pediu aos jovens para não terem medo e perante 1,5 milhões de pessoas que se encontravam no evento, o Papa Francisco anunciou que a próxima JMJ será realizada em 2027 em Seul na Coreia do Sul e que todos os jovens estavam convidados a irem a Roma ao Jubileu em 2025.

A notícia de que a próxima Jornada Mundial da Juventude acontecerá em 2027 na vibrante cidade de Seul, na Coreia do Sul, trouxe uma mistura de emoções e expectativas. Essa escolha é um testemunho da natureza verdadeiramente global da Igreja Católica e da JMJ que reúne jovens de diferentes partes do mundo para celebrar a fé, a solidariedade e o amor.

No entanto, os representantes da África dos Sul, ficaram descontentes já que estavam à espera que fosse anunciado que, finalmente, a JMJ seria realizada, pela primeira vez num país africano, já que África é o único continente onde, até ao momento, não se realizou nenhuma JMJ.

Mas ao percebermos que a JMJ irá para Seul, é impossível não recordar o recorde de participantes que foi estabelecido nas Filipinas, em 1995, onde quatro milhões de peregrinos se reuniram para a missa de encerramento em Manila, uma demonstração poderosa da unidade da juventude católica. A escolha de Seul como a próxima sede é uma oportunidade para recriar esse momento.

 

Um Adeus e um Até Breve

Imagem © 2023 Tiago Petinga (20230806) JMJ Vai Para Seul, África É Esquecida, Outra VezA JMJ de Lisboa foi muito mais do que um evento religioso. Foi uma jornada de inspiração e transformação, onde jovens de diferentes culturas e origens se reuniram para partilhar alegrias, desafios e esperanças. A escolha de Seul como a próxima cidade-sede apenas reforça a mensagem de que a fé e a solidariedade transcendem fronteiras e unem corações.

E enquanto as emoções da JMJ estão frescas na memória, é hora de olhar para o futuro com esperança e determinação. A próxima JMJ em Seul promete ser mais um capítulo emocionante na história da Igreja Católica e da juventude global. Os jovens de todas as nações têm a oportunidade de se unirem, celebrarem a fé e enfrentarem juntos os desafios do mundo atua

Ao encerrar a JMJ, o Papa Francisco despediu-se dos jovens peregrinos, encorajando-os a continuarem firmes na sua fé e compromisso com um mundo melhor. Assim, os jovens retornam às suas casas com os corações cheios de esperança, inspiração e a determinação de tornar o mundo um lugar mais amoroso e inclusivo.

 

Os Números da CPLP

A JMJ 2023 contou ainda com uma grande participação de peregrinos inscritos dos países lusófonos, provenientes de Portugal (19.350), Brasil (5.826), Angola (752), Cabo-Verde (940), São Tomé e Príncipe (513), Moçambique (312), Guiné-Bissau (122) e Timor-Leste (62). No entanto, é preciso não esquecer que muitos peregrinos não se inscreverem, limitaram-se a aparecer na JMJ.

 

As Mensagens

Imagem © 2023 António Pedro Santos (20230806) JMJ Vai Para Seul, África É Esquecida, Outra VezNesta JMJ o Papa Francisco, deixou alguns “chavões” para nos deixarem a pensar no futuro, essas mensagens são algo a reter por todos os jovens peregrinos, no seu regresso a casa.

“Na Igreja há lugar para todos, para todos. Na Igreja ninguém é excedentário, ninguém é excedentário, há lugar para todos. Tal como nós somos. Todos nós”.

“O ÚNICO MOMENTO EM QUE É LÍCITO OLHAR UMA PESSOA DE CIMA PARA BAIXO É PARA AJUDÁ-LA A LEVANTAR-SE”.

“Às vezes na vida há que sujar as mãos para não sujar o coração”.

“Uma vida sem crises é uma vida asséptica é como água destilada, não tem sabor a nada”.

“Na vida, nada é grátis, tudo se paga. Só uma coisa é gratuita: o amor de Jesus”.

“Não esqueçais que temos necessidade de uma ecologia integral, de escutar o sofrimento do planeta juntamente com o dos pobres”.

“Não basta que um cristão esteja convencido, deve ser convincente”.

“Nunca te canses de perguntar. Fazer perguntas é bom”.

“A alegria é missionária”.

“Sejam surfistas do amor”.

“A capelinha onde nos encontramos constitui uma bela imagem da Igreja: acolhedora e sem portas”.

 

Conclusão

Enquanto as cortinas se fecham sobre a JMJ em Lisboa, o verdadeiro espetáculo está apenas a começar. O legado deixado por este encontro inspirador perdurará, impulsionando os jovens a serem líderes de esperança, embaixadores de compaixão e construtores de um mundo mais justo e solidário.

Assim, com corações cheios de gratidão e entusiasmo, os jovens se despedem-se de Lisboa, prontos para trilhar o próximo capítulo emocionante das suas jornadas pessoais e coletivas. A JMJ é uma lembrança constante de que, independentemente das fronteiras que nos separam, somos todos membros de uma única família humana, unidos pelo desejo comum de construir um mundo melhor.

 

O que achas desta JMJ 2023? Pensas que é injusto África não ter sido escolhida? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Ver Também:

Papa Chegou à JMJ 2023, Com África Presente

Visita do Papa a África pode ajudar a matar a fome

Imagem: © 2023 DR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!