17.9 C
Londres
Terça-feira, Julho 23, 2024

Angola: Aumentar a Produção Nacional

"O país tem força de trabalho e condições climáticas favoráveis para o aumento da produção agrícola e agropecuária" - José de Lima Massano.

Angola: Aumentar a Produção Nacional.

Segundo José de Lima Massano, Angola tem força de trabalho e condições climáticas favoráveis para o aumento da produção agrícola e agropecuária.

O ministro de Estado para a Coordenação Económica fez essa afirmação na 11.ª edição do CaféCIPRA, realizada esta quarta-feira, 10 de Janeiro,  no auditório do Centro de Imprensa da Presidência da República (CIPRA).

José de Lima Massano disse ainda que o país tem histórico de dedicação, de empenho, e alguma capacidade financeira, que não é desprezível, apesar das dificuldades que são conhecidas. Portanto, “temos condições para pudermos fazer melhor”, declarou.

Com a aprovação do Orçamento Geral do Estado, acrescentou, entram em vigor um conjunto de medidas já iniciadas em 2023, para o país alcançar, de forma acelerada, uma economia que melhore a condição de vida dos angolanos.

Durante o CaféCIPRA, com o tema “Impacto do investimento privado no sector produtivo”, os facilitadores abordaram as medidas em curso no sector produtivo e os projectos por implantar, para o aumento da produção nacional, maior oferta de bens e serviços, baixa de preços, aumento das exportações, redução das importações e do nível de inflação e aumento do crescimento económico.

José de Lima Massano entende que o ritmo de crescimento da população e suas necessidades está muito acima daquilo que o sector é capaz de oferecer aos cidadãos, daí a necessidade de se avançar com os programas de diversificação da economia e de aumento da produção interna de bens.

“Este é o exercício que estamos a fazer, capitalizando o trabalho que vem lá de trás”.

“Nós adoptamos o PRODESI como programa para acelerar a diversificação da economia, mas antes mesmo do PRODESI também alguns investimentos importantes foram sendo realizados na indústria transformadora, por exemplo, e que há necessidade de capitalizarmos”, precisou.

O ministro de Estado para a Coordenação Económica lembrou que o mercado angolano nem sempre conseguiu tirar benefício das capacidades que foram sendo instaladas, porquê foram montadas com dependência externa. Ou seja, a matéria-prima é essencialmente importada, mesmo o país tendo capacidade de produção.

José de Lima Massano disse ainda que o  modelo de economia de mercado abraçado pelo Governo angolano faz-se com operadores privados.

“Nós vamos continuar a actuar em alguns sectores com alguns instrumentos que temos, mas há que potenciar esse sector privado e há que reconhecer aquilo que o sector privado até aqui foi capaz de fazer”, concluiu.

O CaféCIPRA, um espaço de diálogo directo entre governantes e governados, teve como facilitadores o ministro de Estado para a Coordenação Económica, José de Lima Massano, os ministros da Agricultura e Florestas, António Francisco de Assis, e da Indústria e Comércio, Rui Miguéns de Oliveira,  e o PCA da AIPEX, Lello Francisco.

Imagem: © 2023 CIPRA
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com