NASA: Subida do Nível do Mar é Alarmante.

A NASA, usando o recurso das imagens dos seus satélites, publicou uma animação perturbadora que revela o quão significativo foi o aumento do nível do mar nas últimas três décadas.

Nesses 30 anos, o nível do mar subiu mais de 9 centímetros, algo que pode parecer pouco, comparável ao comprimento de uma mão. Contudo, ao visualizar essas alterações como ondas a embater num vidro de um navio, a situação começa a parecer alarmante.

 

Os Dados da NASA

A apresentação dos dados, publicada na semana passada, é criação de Andrew J. Christensen, um especialista em visualização de dados do Estúdio de Visualização Científica da NASA.

Christensen, animou as alterações notadas no nível global do mar, recolhidas por satélites que orbitaram a Terra entre 1993 e 2022, a representação torna uma complexa agregação de números em algo muito mais compreensível.

Três décadas podem parecer muito tempo, mas é apenas dois terços do período, durante o qual a ExxonMobil, uma das maiores empresas de petróleo e gás do mundo, tem conhecimento de que a queima dos seus produtos de combustíveis fósseis está a aquecer o planeta.

As consequências destas emissões que retêm calor estão a ser sentidas pelas comunidades costeiras ao redor do mundo. Estima-se que milhões de pessoas serão afetadas pela elevação do nível do mar, que levará ao “desaparecimento” das linhas costeiras, caso as emissões não sejam substancialmente reduzidas.

 

A Medição do Nível do Mar

Desde 1993, o nível do mar tem sido regularmente medido por satélites que emitem sinais de micro-ondas à superfície do oceano e medem o tempo que estes demoram a retornar. A partir disso, os pesquisadores podem calcular e acompanhar a altura da superfície do mar.

Para aqueles que tentam imaginar estas severas alterações de forma mais pessoal, a NASA afirma que a animação:

“Foi desenhada para ser vista através de um círculo, utilizando a metáfora visual de olhar pela janela de um navio e assistir a anos de subida do nível do mar”.

A agência salienta que, quando exibida num ecrã 4K de 85 polegadas, as marcas de medição no vídeo são precisas em relação ao mundo real. Os nossos oceanos podem estar a aquecer, mas a animação – da subida do nível do mar no passado – dá-nos arrepios ao pensar no que está para vir.

 

O Planeta Terra Está a Suar

Actualmente, o nosso planeta sofre sob a pressão das emissões de dióxido de carbono, com o aumento do calor global a reflectir-se maioritariamente nos oceanos. Estes corpos aquáticos, que têm absorvido cerca de 90% do calor produzido pela actividade humana, transformaram-se em verdadeiros espelhos do nosso impacto ambiental.

Os primeiros metros da superfície oceânica detêm uma quantidade de calor semelhante à existente na atmosfera terrestre completa. À medida que a temperatura da água do mar se eleva, esta expande-se e, consequentemente, o nível do mar sobe.

Este fenómeno é exacerbado pelo constante derretimento das camadas de gelo e a ocorrência de tempestades, factores que contribuem para um aumento ainda mais significativo dos níveis oceânicos.

Este processo, apesar de gradual, tem sido negligenciado. Como referido por Graham Readfearn, oceanógrafo e cientista climático da Universidade de New South Wales.

“Ao absorver todo este calor, o oceano leva as pessoas a uma falsa sensação de segurança de que as alterações climáticas estão a progredir lentamente”.

Um dos alertas mais prementes vem da série “Sinais Vitais do Planeta” da NASA, que, ao utilizar sinais de alarme semelhantes aos fisiológicos, pretende despertar a atenção para o estado crítico do nosso planeta.

NASA

A divulgação destas informações não se resume ao ambiente científico, alcançando também o público geral através das redes sociais, como é o caso da recente partilha de Zachary Labe, cientista climático da Universidade de Princeton.

Contudo, não podemos ignorar a emergência que se avizinha. A temperatura da superfície do mar no Atlântico Norte tem subido para níveis sem precedentes, um sinal alarmante que não pode ser desvalorizado.

Segundo Farhana Sultana, académica de governação da água e justiça climática na Universidade de Syracuse, é essencial compreender que;

“Isto não pode continuar, uma vez que os sistemas que se tornam mais instáveis e imprevisíveis causarão mais danos de forma caótica”.

Os sistemas tornam-se mais instáveis e imprevisíveis, aumentando a probabilidade de danos caóticos. Desta forma, somos levados a reflectir sobre a urgência de actuar e de procurar soluções colectivas para os problemas que enfrentamos. As alterações climáticas não são uma miragem distante, mas sim um desafio iminente que exige uma resposta global e concertada.

 

Conclusão

Planear projeções e sintetizar estes dados para comunicar o que tudo isso significa para pessoas em todo o mundo, representa um dos problemas fundamentais da crise climática.

Esta crise terá um maior impacto naqueles que menos contribuíram para o aquecimento global. Espera-se que visualizações como esta, auxiliem as pessoas a perceberem os problemas em que estamos todos imersos – problemas que podemos resolver juntos.

 

O que achas desta ideia da NASA? Acreditas que esta visualização poderá fazer a diferença? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.
Imagem: © Greenpeace
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!