6.3 C
Londres
Domingo, Abril 21, 2024

Cimeira Quadripartida Exige Paz Para a RDC

A próxima Cimeira Quadripartida será realizado em Bujumbura, Burundi.

Cimeira Quadripartida Exige Paz Para a RDC.

A Cimeira Quadripartida realizada em Luanda, que também contou com a participação das Nações Unidas (ONU), manifestou preocupação pela prevalecente situação de insegurança e humanitária na República Democrática do Congo (RDC) e exige a retirada incondicional e imediata de todos os grupos armados que actuam no Leste deste país africano, com destaque para o M-23.

Participaram do encontro Chefes de Estado e de Governo das regiões que integram a Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), as comunidades da África Oriental (CAO), Económica dos Estados da África Central (CEEAC) e para o Desenvolvimento da África Austral (SADC).

 

Crise Humanitária na RDC

A cimeira destacou a preocupação com a situação de insegurança e a crise humanitária enfrentada pela RDC devido às ações dos grupos armados na região. Diante desse cenário, foi feito um apelo à criação de corredores humanitários para facilitar a assistência às vítimas desse conflito.

A comunidade internacional reconhece a urgência de abordar os desafios humanitários e garantir a proteção dos civis afetados. Um dos objetivos da cimeira é a restauração da autoridade do Estado nas áreas ocupadas do Leste da RDC, visando criar um ambiente favorável para o retorno dos refugiados e deslocados internos.

Nesse sentido, foi adotado um quadro conjunto de coordenação de iniciativas de paz no Leste da RDC, envolvendo a CIRGL, as comunidades da África Oriental, Económica dos Estados da África Central, a SADC e a Organização das Nações Unidas (ONU).

O intuito é harmonizar esforços e cronogramas de acordo com os instrumentos e decisões acordados, visando a estabilização da região e o estabelecimento de condições propícias à paz.

 

Cooperação regional

A cimeira destacou a importância da cooperação entre as organizações envolvidas e ressaltou os esforços da CIRGL, CAO, CEEAC e SADC no reconhecimento da necessidade de uma abordagem harmonizada e coordenada, liderada pela União Africana, para enfrentar as ameaças à segurança na Região dos Grandes Lagos.

Nesse sentido, a cimeira incentivou essas organizações a fortalecerem a cooperação e os esforços de segurança coletiva. Reconheceu-se que uma abordagem unificada é essencial para enfrentar os desafios que a região ainda enfrenta, visando a construção de uma paz duradoura e sustentável.

 

A Cimeira Quadripartida

A Cimeira Quadripartida de Luanda representou um marco importante no esforço conjunto para alcançar a paz e a estabilidade na Região dos Grandes Lagos, em particular na República Democrática do Congo (RDC).

Os Chefes de Estado presentes reafirmaram o compromisso de restaurar a autoridade do Estado nas áreas afetadas pelo conflito e trabalhar em conjunto para enfrentar as ameaças à segurança regional.

Através da cooperação entre as organizações envolvidas, como a CIRGL, a CAO, a CEEAC, a SADC e a ONU, busca-se uma abordagem harmonizada e coordenada para lidar com os desafios que ainda persistem na região. A melhoria da coordenação e implementação do cessar-fogo, bem como a retirada do grupo armado M23 dos territórios ocupados na RDC, são medidas discutidas durante a cimeira que buscam promover a paz duradoura e sustentável.

É fundamental que os países e as organizações continuem a partir deste momento, trabalhando em conjunto para implementar as decisões acordadas e monitorar os progressos alcançados. A paz na RDC não pode ser alcançada de forma isolada, mas requer esforços conjuntos e comprometidos para superar os desafios e construir um futuro melhor para as comunidades afetadas.

A Cimeira Quadripartida de Luanda representa a esperança de um futuro mais pacífico e próspero para a Região dos Grandes Lagos, onde o respeito pelos direitos humanos, a estabilidade política e o desenvolvimento econômico possam prevalecer.

 

Os Participantes da Cimeira

Além de João Lourenço, participaram no encontro quadripartido o Presidente da União das Comores e em exercício da União Africana, Azali Assoumani, o Chefe de Estado do Zimbabwe e presidente em exercício do Conselho de Paz e Segurança da União Africana, Emmerson Mnangagwa, e o Presidente do Gabão e também presidente em exercício da CEEAC, Ali Bongo.

Estiveram também presentes o Presidente do Burundi e da Comunidade da África Oriental (CAO), Evarist Ndayishimiye, o Chefe de Estado da República Democrática do Congo, e presidente em exercício da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), Félix Tshisekedi, o antigo Presidente do Quénia e facilitador designado da CAO, Uhuru Muigai Kenyatta.

A cimeira contou ainda com o  Vice-Presidente da Namíbia, Nangolo Mbumba, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Rwanda, Vincent Biruta, o presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki Mahammat, o embaixador Parfait Onanga, representante do Secretário-Geral da ONU, bem como o  presidente da Comissão da CEEAC, e os secretários executivos da CIRGL, SADC e da CAO.

 

Próximos passos

A Cimeira Quadripartida de Luanda é resultado das deliberações da XI cimeira extraordinária de Chefes de Estado da CIRGL, ocorrida em Luanda no início deste mês. Entre as medidas discutidas, destaca-se a melhoria da coordenação e implementação do cessar-fogo, além da retirada do M23 dos territórios ocupados na RDC.

Os próximos passos após a cimeira envolvem a implementação das decisões acordadas e o acompanhamento dos progressos alcançados. É fundamental que as organizações e os países envolvidos trabalhem de forma conjunta e comprometida para promover a paz, a estabilidade e o desenvolvimento na RDC.

O próximo encontro será realizado em Bujumbura, Burundi.

 

Conclusão

A Cimeira Quadripartida de Luanda foi um marco para a busca da paz e estabilidade na Região dos Grandes Lagos, especialmente na RDC. Os líderes reafirmaram o compromisso de restaurar a autoridade estatal e enfrentar as ameaças à segurança.

 Com a cooperação entre organizações como a CIRGL, CAO, CEEAC, SADC e ONU, busca-se uma abordagem coordenada para resolver os desafios. É crucial que países e organizações trabalhem juntos para implementar as decisões e monitorar o progresso, construindo um futuro pacífico e próspero baseado nos direitos humanos, estabilidade política e desenvolvimento econômico.

 

O que achas desta cimeira? Será que vai ter alguma influência na RDC? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.
Imagem: © 2023 CIPRA 
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!