8.1 C
Londres
Segunda-feira, Abril 22, 2024

Cabo Verde e São Tomé, Os Mais Livres Em África

Cabo Verde e São Tomé e Príncipe destacam-se como exemplos positivos de liberdade política e civil em África.

Cabo Verde e São Tomé, Os Mais Livres Em África


Cabo Verde e São Tomé e Príncipe estão entre os países mais bem classificados em África e os primeiros entre os PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa), no que diz respeito aos direitos políticos e liberdades civis. Enquanto a Guiné-Bissau e Moçambique são classificados como “parcialmente livres”, Angola e a Guiné Equatorial são considerados “não livres”.

A situação política e o respeito pelos direitos civis são temas cruciais em todo o mundo, especialmente em África. O relatório anual da Freedom House, lançado na passada quinta-feira, 29 de Fevereiro de 2024, destacou a classificação de vários países africanos no que diz respeito às liberdades.

 

Classificação dos Países em África


O relatório anual da Freedom House inclui pontuações (0 a 100) e relatórios nacionais pormenorizados sobre os direitos políticos e as liberdades civis de 195 países e 15 territórios em todo o mundo analisando a liberdade política e civil em todo os países. infelizmente, o relatório, aponta para um declínio contínuo desses aspectos em África.

No entanto, alguns países em África destacam-se positivamente. Cabo Verde, Maurícias e São Tomé e Príncipe são os primeiros três países, mais bem classificados em África, no respeito pelos direitos políticos e liberdades civis e têm sido consistentemente classificadas como “livres”, sendo exemplos de nações africanas que se têm destacado nestes aspectos.

Estas nações têm sido elogiadas pelo seu respeito aos direitos políticos e liberdades civis, uma conquista significativa em um contexto continental onde a maioria dos países enfrentam desafios nesses aspectos.

Vários fatores contribuem para essa classificação positiva. Em ambos os países, há um histórico de estabilidade política e um compromisso com instituições democráticas. Além disso, o respeito pela liberdade de expressão e pelos direitos individuais é uma prioridade para estas sociedades.

 

Declínio da Liberdade em África


Apesar do sucesso de Cabo Verde que também se encontra entre os países mais livres do mundo, das Maurícias e de São Tomé e Príncipe, o relatório destaca uma tendência preocupante, o declínio da liberdade em África, onde problemas graves, recorrentes, têm contribuído para essa trajetória negativa.

“A liberdade em África diminuiu pelo décimo ano consecutivo em 2023, devido a conflitos armados, golpes militares e irregularidades eleitorais”, considera a Freedom House.

O relatório fornece pontuações detalhadas para cada país, permitindo uma comparação objetiva e onde podemos verificar que alguns países tiveram melhorias modestas, mas infelizmente a grande maioria enfrentou retrocessos significativos.

Infelizmente, há países com uma classificação muito baixa em termos de liberdade, a sua grande maioria africanos, como o Sudão do Sul, a Eritreia, a Guiné Equatorial e a República Centro-Africana que se encontram classificados entre os menos livres do mundo, enfrentando sérios desafios em termos de direitos civis e políticos.

Esta classificação tem um impacto significativo na população africana. Apenas uma pequena percentagem de africanos vive em países considerados “livres”, enquanto a maioria enfrenta restrições à sua liberdade individual e política.

A liberdade e os direitos individuais são fundamentais para o desenvolvimento humano e o progresso das sociedades. É essencial que os governos africanos trabalhem para garantir esses direitos para todos os seus cidadãos.

 

Conclusão


Cabo Verde e São Tomé e Príncipe destacam-se como exemplos positivos de liberdade política e civil em África. Apesar dos desafios significativos que ainda enfrentamos, há também esperança para o futuro. Com o apoio da comunidade internacional e o compromisso dos governos locais, é possível avançar em direção a sociedades mais livres e justas em África.

No entanto, é crucial enfrentar esses desafios e trabalhar para garantir que todos os africanos possam desfrutar plenamente de seus direitos e liberdades. A liberdade é um direito humano fundamental que deve ser protegido e promovido em todas as partes do mundo, incluindo África.

 

O que achas deste relatório e do facto de Cabo Verde ser o país mais livre de África e um dos mais livres no mundo? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 


Imagem: © Nick Fewings / Unsplash
Francisco Lopes-Santos
Francisco Lopes-Santos

Ex-atleta olímpico, tem um Doutoramento em Antropologia da Arte e dois Mestrados um em Treino de Alto Rendimento e outro em Belas Artes. Escritor prolifero, já publicou vários livros de Poesia e de Ficção, além de vários ensaios e artigos científicos.

Francisco Lopes-Santoshttp://xesko.webs.com
Ex-atleta olímpico, tem um Doutoramento em Antropologia da Arte e dois Mestrados um em Treino de Alto Rendimento e outro em Belas Artes. Escritor prolifero, já publicou vários livros de Poesia e de Ficção, além de vários ensaios e artigos científicos.
Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!