13 C
Londres
Sábado, Abril 13, 2024

CAN 2023: Guiné-Bissau Também Já Se Apurou

Os esforços da seleção de futebol da Guiné-Bissau foram coroados com sucesso.

CAN 2023: Guiné-Bissau Também Já Se Apurou.

A seleção nacional de futebol da Guiné-Bissau, os “Djurtus”, também já garantiram presença na fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN 2023) que terá lugar no próximo ano na Costa do Marfim.

Há ainda esperança para as equipas de Moçambique e Angola, que poderão assegurar a sua presença na competição máxima do futebol africano caso alcancem um empate na derradeira jornada das eliminatórias, agendada para Setembro.

 

Triunfo para a Guiné-Bissau

Os esforços da seleção de futebol da Guiné-Bissau foram coroados com sucesso. Este pequeno país da África Ocidental, conhecido pela sua paixão pelo futebol, conseguiu assegurar o seu lugar na fase final do CAN 2023. Este é um marco significativo, não só para a seleção, mas também para a nação como um todo, que se une em apoio e orgulho pela sua equipe.

Esta qualificação foi alcançada após uma partida intensa contra São Tomé e Príncipe, que se saldou numa vitória por 1-0 para a Guiné-Bissau. A tensão foi palpável ao longo do jogo, com ambas as equipes lutando duramente para garantir a vitória. No entanto, foi a Guiné-Bissau que emergiu como vitoriosa, graças a um golo de Zinho Gano.

Zinho, um talento incontestável no cenário futebolístico, mostrou sua habilidade e determinação ao marcar o único golo do jogo, garantindo assim a vitória para a sua equipe. A sua atuação foi elogiada tanto por colegas de equipe como por adeptos, que o consideram um elemento crucial para o sucesso da seleção.

Esta vitória é mais do que um simples passo rumo ao CAN 2023. É o reflexo do trabalho duro, da paixão e do comprometimento da equipe da Guiné-Bissau, que agora se prepara para enfrentar adversários ainda mais duros na fase final do campeonato. Com os olhos postos no futuro, a Guiné-Bissau está pronta para mostrar ao continente africano e ao mundo, o poder e a qualidade do seu futebol.

 

As promessas de Baciro Candé

Desde 2016, sob o comando do selecionador Baciro Candé, a seleção de futebol da Guiné-Bissau tem trilhado um percurso de notável crescimento, evidenciado pela sua quarta participação consecutiva no CAN.

De acordo com Candé, este não é um sucesso aleatório, mas o resultado de um trabalho contínuo e persistente, impulsionado pela inclusão de jogadores formados na Europa.

“É fruto de muito trabalho desde que assumi o cargo em 2016, mas também a entrada de jogadores formados na Europa tem ajudado imenso”, afirmou.

Esta mistura de talento local e internacional tem fortalecido a equipe, permitindo-lhes enfrentar adversários com confiança e resiliência.

Candé também ressaltou a determinação da equipe em enfrentar os seus desafios e transformar fraquezas em forças, afirmando que o país “sabe das suas fraquezas”, mas de cada vez que defronta qualquer adversário “faz delas forças para vencer”.

Olhando para o futuro, Candé está confiante de que a Guiné-Bissau tem o potencial para ir além da fase de grupos da CAN 2023 que decorrerá entre 13 de Janeiro e 11 de Fevereiro de 2024.

“Vamos corrigir os erros das outras participações e vamos fazer tudo para passar a fase de grupos”, prometeu o selecionador.

Para isso, Baciro Candé apela à unidade nacional em torno da seleção e solicita à federação de futebol e ao Governo que organizem jogos de preparação, uma estratégia ainda não adotada nas edições anteriores do CAN. Esta preparação adicional, acredita Candé, pode ser a chave para o avanço inédito da Guiné-Bissau na competição.

 

Moçambique e Angola à beira do CAN 2023

As equipas nacionais de futebol de Moçambique e Angola encontram-se numa posição muito promissora, estando à beira de se qualificarem para a fase final do CAN 2023. Esta é uma oportunidade de elevar o estatuto do futebol nestes países a um novo patamar, enquanto se preparam para competir contra as melhores equipas de todo o continente africano.

Angola, após uma vitória enérgica por 2-1 contra a República Centro Africana, está agora numa posição confortável para garantir a sua vaga na fase final. A seleção angolana, também conhecida como “Os Palancas Negras”, tem mostrado uma performance impressionante durante as eliminatórias, destacando-se pela sua garra e determinação.

No entanto, a sua viagem para a fase final do CAN 2023 ainda não está totalmente assegurada. A equipa necessita apenas de um empate no último jogo para confirmar a sua classificação, um objetivo perfeitamente alcançável, mas que requer total foco e preparação.

Por outro lado, Moçambique, cuja equipa é carinhosamente apelidada de “Os Mambas”, também se encontra à beira da qualificação. Após uma série de jogos bem disputados, o destino de Moçambique será decidido no último confronto contra Benin. A seleção moçambicana precisa apenas de um empate para garantir a sua vaga, mas certamente não se conformará com o mínimo e irá lutar pela vitória.

Esta iminente classificação representa mais do que uma conquista desportiva para ambos os países. Ela serve como um catalisador para unir as nações em torno do amor ao futebol, fortalecendo o sentimento de identidade nacional e proporcionando uma fonte de alegria e orgulho para todos os cidadãos.

Seja qual for o resultado final, as performances de Moçambique e Angola durante as eliminatórias do CAN servem como testemunho do talento, da dedicação e do espírito desportivo presentes no futebol destes dois países. Estão todos na expectativa para as próximas etapas desta jornada emocionante.

 

Possível estreia histórica

Se as previsões para Moçambique e Angola se concretizarem, será a primeira vez que quatro selecções de países de língua portuguesa alcançam em conjunto a fase final do CAN.

Em uma volta interessante dos eventos, as seleções nacionais de futebol de Moçambique e Angola estão prestes a marcar uma página brilhante na história do futebol lusófono. Se as expectativas forem confirmadas, testemunharemos um momento verdadeiramente histórico.

Este marco significativo não é apenas uma questão de honra para as equipas individuais, mas também um reflexo da evolução e do crescimento do futebol nos países lusófonos. Isso representa uma oportunidade de afirmar a sua presença no cenário futebolístico africano e de demonstrar a força e a resiliência do futebol de língua portuguesa.

A fase final do CAN 2023, que se realizará na Costa do Marfim em Janeiro e Fevereiro do próximo ano, promete ser um espetáculo emocionante. Com a possível participação de quatro seleções lusófonas, o torneio estará repleto de emoção, competição acirrada e, sem dúvida, momentos memoráveis que celebrarão o talento, a paixão e o espírito do futebol africano.

Os olhos do mundo do futebol estarão voltados para a Costa do Marfim, enquanto os jogadores se preparam para competir no palco mais prestigioso do futebol africano. Todos aguardam com expectativa para ver se estas quatro nações lusófonas farão história, estabelecendo um novo padrão para o futebol de língua portuguesa e criando um legado que inspirará as gerações futuras.

Este é um momento emocionante para o futebol lusófono e as expectativas são altas. Independentemente do resultado final, o potencial de uma estreia histórica já é motivo de comemoração e orgulho. Todos estamos na expectativa para ver se este momento histórico se concretizará.

 

Conclusão

Este é um momento crítico e emocionante para o futebol africano de língua portuguesa. A possibilidade de quatro seleções lusófonas marcarem presença na fase final do CAN 2023 não é apenas um triunfo para essas equipas, mas um triunfo para a língua portuguesa e para a unidade e irmandade que ela representa.

Isso reforça a ideia de que o futebol é mais do que um jogo. É um símbolo de identidade, uma fonte de orgulho nacional e um meio de unir pessoas de diferentes origens sob um propósito comum. Através do futebol, as barreiras são quebradas e os laços são reforçados.

Seja qual for o resultado, a perspectiva de ter quatro seleções lusófonas na fase final do CAN 2023 já é uma vitória em si. Trata-se de uma conquista que transcende o desporto, simbolizando a força das nações de língua portuguesa.

Estamos todos ansiosos para assistir a essa competição histórica e para apoiar essas equipes à medida que elas se esforçam para alcançar a excelência no cenário futebolístico africano. Seja qual for o desfecho, já se pode considerar que a língua portuguesa e o futebol africano de língua portuguesa já saíram vencedores.

 

O que achas desta vitória da Guiné-Bissau? E da possibilidade de termos 4 países lusófonos na final do CAN? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.
Imagem: © DR
Francisco Lopes-Santos
Francisco Lopes-Santoshttp://xesko.webs.com
Ex-atleta olímpico, tem um Doutoramento em Antropologia da Arte e dois Mestrados um em Treino de Alto Rendimento e outro em Belas Artes. Escritor prolifero, já publicou vários livros de Poesia e de Ficção, além de vários ensaios e artigos científicos.
Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!