13.8 C
Londres
Sábado, Abril 13, 2024

Moçambique valoriza cooperação com Portugal

Moçambique valoriza cooperação com Portugal.

O vice-ministro da Economia e Finanças de Moçambique, Amílcar Tivane, valorizou hoje a cooperação com Portugal nas múltiplas vertentes, mas sublinhou que seria desejável o regresso do apoio direto ao orçamento do país.

“O apoio direto ao Orçamento (do Estado) seria desejável, naturalmente”.

Afirmou Amílcar Tivane, considerando, contudo, que é preciso ver “a cooperação com Portugal nas suas múltiplas vertentes”.

“O financiamento que temos estado a receber noutras áreas, e capacitação institucional, têm estado a contribuir para alavancar a economia moçambicana”.

Disse o vice-ministro em declarações à agência Lusa, à margem das reuniões anuais do Grupo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) que hoje terminaram, em Sharm el Sheikh, no Egito.

Na recente visita a Maputo do primeiro-ministro português, António Costa, os dois países assinaram um novo quadro de cooperação “que contempla um conjunto de áreas”, realçou, valorizando também o apoio de Portugal no âmbito do Compacto Lusófono, parceria criada com o BAD para promover o investimento nos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP), que vai ser prolongada por mais cinco ou até 10 anos.

Portugal, como outros países e instituições, suspendeu o apoio direto ao orçamento de Moçambique, na sequência do caso das dívidas ocultas, o maior caso de corrupção da história do país, um esquema que defraudou o Estado em mais de 2,7 mil milhões de dólares de dívida contraída junto de bancos internacionais, entre 2013 e 2014.

“É preciso recordar que, há sete, 10 anos atrás, Moçambique tinha recursos de apoio direto ao orçamento na casa de 750 a 800 milhões de dólares”, recordou o vice-ministro da Economia e Finanças.

O governante admitiu que, “naturalmente, com esta redução dos fluxos de apoio direto ao orçamento, houve necessidade de o país adotar esforços para mobilizar recursos adicionais”, o que tem estado a ser conseguido com esforço.

“Estamos a falar de recursos internos para assegurar que o país continua a prover e continua a realizar o seu programa de investimento no domínio das infraestruturas, na área social, acumulação de capital humano, criação de emprego”, referiu Amílcar Tivane.

Um reflexo desses esforços é o crescimento da economia de Moçambique, um dos países de África que o Banco Africano de Desenvolvimento prevê que tenham crescimentos do Produto Interno Bruto (PIB) de mais de 5% este ano, ou seja acima da média do continente, que estima em 4%.

No documento “Perspetivas Económicas de África”, divulgado durante as reuniões anuais, o BAD prevê um crescimento da economia de Moçambique de 6,6% este ano.

Agencia Lusa
Agencia Lusahttps://www.lusa.pt/
É a maior agência noticiosa de língua portuguesa, faz parte da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa e tem mais de 280 jornalistas espalhados por todo o mundo. Para além das principais cidades de Portugal, a Lusa tem delegações ou correspondentes permanentes na Bélgica, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Rússia, Estónia, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Índia, São Tomé e Príncipe, África do Sul, Argélia, Timor-Leste, Macau, China, Brasil, Venezuela, Estados Unidos, Canadá e Austrália. Fornece um serviço noticioso a inúmeros jornais, rádios e canais de televisão portugueses, aos meios de comunicação social das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e a agências noticiosas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Subscrevem também os serviços da Lusa diversas instituições públicas e privadas.
Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!