CAN 2023: Quem Vai Brilhar Na Costa do Marfim?

A 34ª edição do Campeonato Africano das Nações (CAN) começa na Costa do Marfim a 13 de Janeiro, com a final a realizar-se em Abidjan a 11 de Fevereiro.

Diversas equipas da Premier League perderão alguns nomes de destaque e, o avançado do Liverpool, Mohamed Salah, estará extra motivado para encerrar a espera de 14 anos por um sucesso continental do seu país.

Mais Afrika apresenta neste artigo, seis jogadores que têm motivos diferentes para causar impacto neste CAN 2023.

 

Mohamed Salah (Egipto)

O Egipto sofreu uma dupla decepção às mãos do Senegal em 2022, ao perder a final do CAN para os Leões de Teranga e ao lhes ser negado um lugar no Mundial de Futebol do Qatar também pelos oeste-africanos.

Ambos os jogos foram decididos nos penáltis – e Salah nem teve a chance de marcar um na final do CAN, pois foi mantido para a quinta marcação que não chegou a acorrer.

A mais recente das sete coroas continentais do Egipto foi obtida em 2010 e, Salah, estará a procura de superar o desempenho que teve no Gabão em 2017 e nos Camarões no ano passado.

Salah tem uma coleção brilhante de medalhas do seu tempo com o Liverpool, mas o jogador de 31 anos está ansioso para somar mais aos seus seis golos das três idas anteriores à CAN, enquanto tenta levar os Faraós à glória.

Tão influente quanto sempre em Anfield nesta temporada, o ‘Rei Egípcio’ será o capitão da equipe contra o Gana, Cabo Verde e Moçambique no Grupo B.

 

Victor Osimhen (Nigéria)

Depois de perder a edição de 2021 devido a uma combinação de Covid-19 e lesão, o recém-coroado Jogador Africano do Ano pode inspirar a Nigéria a conquistar o primeiro título desde 2013.

O jogador de 24 anos estabeleceu-se como um dos principais avançados da Europa, terminando a última temporada como melhor marcador da Serie A, durante a conquistava do Napoles do primeiro título italiano desde 1990.

A Nigéria, sem Osimhen devido a lesão, só conseguiu empates nas eliminatórias para o Mundial de Futebol de 2026, contra o Lesoto e o Zimbabwe em Novembro e, agora, pela primeira vez, tem a chance de desempenhar um papel importante para o seu país no CAN.

O ex-jogador do Lille esteve no plantel das Super Águias nas finais de 2019, mas só entrou como suplente ao intervalo quanto a Nigéria já vencia o jogo pela disputa do terceiro lugar.

Os oeste-africanos enfrentam os anfitriões, Costa do Marfim, a Guiné Equatorial e a Guiné-Bissau no Grupo A e, com rumores que o ligam a uma transferência para a Premier League, será esta a altura para Osimhen se destacar verdadeiramente no palco internacional sénior?

 

Serhou Guirassy (Guiné)

O avançado teve um início fulgurante na nova temporada pelo clube alemão Stuttgart, marcando 15 golos nos seus primeiros 10 jogos na Bundesliga.

O ex-internacional jovem francês de 27 anos estará a caminho do CAN pela primeira vez, depois de se estrear pela Guiné em Março de 2022.

Os actuais campeões Senegal e os pesos-pesados continentais Camarões, proporcionam uma companhia difícil para o Syli National no Grupo C, com os qualificados pela segunda vez, Gâmbia, a completar a formação.

Lesões em Novembro, interromperam o seu ímpeto e, a Guiné, espera que Guirassy  tenha calçado as suas botas de goleador, enquanto os oeste-africanos procuram chegar aos oitavos de final.

 

Mohammed Kudus (Gana)

O Gana parte para a vizinha Costa do Marfim, procurando evitar uma repetição da eliminação na fase de grupos ocorrida no CAN de 2021 que incluiu uma derrota surpreendente por 3-2 frente as Comores.

As Estrelas Negras desiludiram nas duas primeiras eliminatórias para o Mundial de Futebol de 2026 – e o raio caiu duas vezes no mesmo sitio, quando os oeste-africanos sofreram outra derrota frente as Comores.

Kudus foi o melhor marcador do Gana na qualificação para o CAN, com três golos e, a sua influência no West Ham United, continuou a crescer desde a sua mudança para o clube da Premier League em Agosto.

Depois de marcar dois golos nas finais do Mundial de Futebol de 2022, será que o avançado de 23 anos ajudará o Gana a regressar ao topo do futebol africano, apesar de um teste inicial difícil contra o Egipto?

 

Issa Kabore (Burkina Fasso)

O lateral direito ofensivo, foi votado como o melhor jogador jovem nas finais de 2021, chamando a atenção à medida que o Burkina Fasso chegava às meias-finais antes de perder para os eventuais campeões, o Senegal.

Kabore está nos registos do Manchester City desde que se juntou ao clube belga Mechelen em 2020, mas ainda aguarda pela sua estreia pela actual campeã da Premier League e Campeã Europeia.

Depois de passagens por empréstimo em França no Troyes e no Marselha, o jovem de 22 anos está agora a ter uma amostra da Premier League inglesa com a equipa do Luton que luta contra a descida de divisão.

Com o Burkina Fasso a enfrentar a Argélia, Mauritânia e Angola no Grupo D, Kabore – que já tem mais de 30 internacionalizações – tem outra oportunidade no palco continental para reivindicar um lugar na equipa de Pep Guardiola na próxima temporada.

 

Azzedine Ounahi (Marrocos)

As impressionantes exibições do médio versátil, na histórica campanha de Marrocos no Mundial de Futebol de 2022, foi um factor importante para Ounahi garantir a mudança para os gigantes franceses do Marselha, após o campeonato.

No entanto, uma lesão no dedo do pé, sofrida ao serviço dos Leões do Atlas em Março encerrou a sua temporada, após apenas sete breves aparições na liga, pelo novo clube.

O jovem de 23 anos está a trabalhar para voltar ao nível que atingiu no Qatar, no entanto, Ounahi não participou num único jogo de qualificação para o Mundial de Futebol em Novembro.

Apesar disso, o treinador Walid Regragui pode muito bem voltar-se para um homem que foi uma peça-chave na chegada às meias-finais do Mundial de Futebol, à medida que o Marrocos enfrenta a RD Congo, Zâmbia e Tanzânia no Grupo F.

 

Conclusão

Ao vermos esta selecção de jogadores para participarem no CAN 2023 na Costa do Marfim, percebemos uma narrativa rica em desafios e ambições.

Mohamed Salah lidera o Egipto na procura de redenção, Victor Osimhen, recém-coroado Jogador Africano do Ano, representa a esperança da Nigéria para um título e Serhou Guirassy, Mohammed Kudus, Issa Kabore e Azzedine Ounahi, carregam consigo uma história única em que vão procurar enaltecer os seus países, o que vai proporcionar um torneio repleto de emoções e momentos decisivos.

Claramente a diversidade de trajetórias destes jogadores, promete tornar o CAN 2023 uma competição memorável, onde o futebol africano claramente se irá destacar em toda a sua plenitude.

 

Como achas que vai decorrer este CAN 2023? Queremos saber a tua opinião, não hesites em comentar e se gostaste do artigo partilha e dá um “like/gosto”.

 

Imagem: © DR
Logo Mais Afrika 544
Mais Afrika

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!