21.2 C
Londres
Domingo, Julho 21, 2024

África: Economias Devem Crescer 4% Até 2025

“O ritmo da recuperação mundial após a pandemia de covid-19 foi mais forte do que o previsto em 2023, mas abrandou moderadamente nos últimos meses".

África: Economias Devem Crescer 4% Até 2025


As economias africanas devem crescer no conjunto cerca 3,5% em 2024 e, apesar da volatilidade do ambiente económico global, continuar a crescer moderadamente, cerca de 4%, em 2025, prevê o Banco Africano de Exportação e Importação.

Os dados constam do Relatório sobre as Perspetivas Económicas e de Comércio de África para 2024, apresentado hoje em Nassau, no primeiro dia de trabalhos das Reuniões Anuais do Banco Africano de Exportação e Importação (Afreximbank), por Yemi Kale, economista chefe da instituição.

O evento, que decorre na capital das Bahamas até à próxima sexta-feira, e que coincide com o 3.º Fórum de Comércio e Investimento Afro-Caribenho (ACTIF2024), pretende potenciar as relações económicas e comerciais das duas regiões.

“Os desafios globais em curso prejudicaram o desempenho do comércio africano, que registou uma contração de 6,3% em 2023, contra uma expansão de 15,9% em 2022, enquanto o comércio intra-africano aumentou 3,2% no mesmo período”, detalha o documento.

Com exceção da África do Norte e de partes da África Oriental, as sub-regiões assistiram a um abrandamento económico, resultante de um crescimento global mais lento e de preços mais elevados da energia, em especial do petróleo bruto.

“As pressões inflacionistas e as condições financeiras globais mais restritivas contribuíram para a volatilidade das moedas na maioria dos países africanos”, acrescenta-se no documento.

Quanto ao produto interno bruto (PIB), as economias africanas registaram em 2023 um crescimento médio combinado de 3,2%, abaixo dos 4% registados em 2022.

“O ritmo da recuperação mundial após a pandemia de covid-19 foi mais forte do que o previsto em 2023, mas abrandou moderadamente nos últimos meses”.

“A modesta recuperação da produção mundial foi impulsionada principalmente pelas economias em desenvolvimento, que registaram taxas de crescimento superiores à média mundial, em especial entre 2022 e 2023”, sinaliza-se no documento.

O reforço da capacidade de resistência global de África ao crescimento “implica agir sobre fatores externos e internos, incluindo a redução das vulnerabilidades macroeconómicas e a melhoria dos quadros institucionais e de governação”.

“Mais do que atuar como um amortecedor eficaz para isolar o continente do impacto adverso da volatilidade global, a aplicação efetiva da Zona de Comércio Livre Continental Africana contribuirá para acelerar o processo de transformação estrutural das economias africanas”, antecipa-se no documento.

Mais de 3 mil delegados, incluindo chefes de Estado e de Governo de África e Caraíbas, iniciaram hoje, em Nassau as Reuniões Anuais do Afreximbank (AAAm2024) e o 3.º Fórum de Comércio e Investimento Afro-Caribenho (ACTIF2024).

Os dois eventos decorrem sob o tema “Donos do Nosso Destino: Prosperidade Económica na Plataforma da África Global” e terão painéis de debate centrados na definição de soluções para os desafios que afetam as economias da África e das Caraíbas.

A organização anunciou que pretende concluir mais de 25 acordos de investimento no que será um primeiro passo para a criação de um Acordo de Comércio Livre Afro-Caribenho.


Imagem: © DR
Lusa - Agência de Notícias de Portugal
Agencia Lusa

É a maior agência noticiosa de língua portuguesa, faz parte da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa e tem mais de 280 jornalistas espalhados por todo o mundo. Para além das principais cidades de Portugal, a Lusa tem delegações ou correspondentes permanentes na Bélgica, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Rússia, Estónia, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Índia, São Tomé e Príncipe, África do Sul, Argélia, Timor-Leste, Macau, China, Brasil, Venezuela, Estados Unidos, Canadá e Austrália. Fornece um serviço noticioso a inúmeros jornais, rádios e canais de televisão portugueses, aos meios de comunicação social das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e a agências noticiosas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Subscrevem também os serviços da Lusa diversas instituições públicas e privadas.

Agencia Lusahttps://www.lusa.pt/
É a maior agência noticiosa de língua portuguesa, faz parte da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa e tem mais de 280 jornalistas espalhados por todo o mundo. Para além das principais cidades de Portugal, a Lusa tem delegações ou correspondentes permanentes na Bélgica, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Rússia, Estónia, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Índia, São Tomé e Príncipe, África do Sul, Argélia, Timor-Leste, Macau, China, Brasil, Venezuela, Estados Unidos, Canadá e Austrália. Fornece um serviço noticioso a inúmeros jornais, rádios e canais de televisão portugueses, aos meios de comunicação social das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e a agências noticiosas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Subscrevem também os serviços da Lusa diversas instituições públicas e privadas.
Ultimas Notícias
Noticias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com